Remédios Caseiros Para Linfoma

Os linfomas são um grupo de cânceres em que as células do sistema linfático se tornam anormais e começam a crescer descontroladamente. O tecido linfático se encontra em muitas partes do organismo, de modo que os linfomas podem afetar praticamente qualquer órgão.

O sistema linfático consiste em túbulos ou condutos que transportam a linfa para todas as partes do organismo. A linfa é um líquido leitoso que contém linfócitos.

Estes, juntamente com os monócitos e os granulócitos, compõem os leucócitos ou glóbulos brancos, que são responsáveis pela luta contra a infecção do sangue. Os órgãos em forma de ervilha que existem ao longo da rede de vasos linfáticos se denominam nódulos linfáticos e sua principal função é a de servir de local de armazenamento para os linfócitos. Encontram-se agrupamentos de gânglios linfáticos na região pélvica, axilas, pescoço, tórax e abdômen.

Remédios Caseiros Para Linfoma

O baço (órgão situado na parte superior do abdômen), amígdalas e timo (pequeno órgão situado atrás do esterno) também fazem parte do sistema linfático. Os linfócitos se encontram no tecido linfoide, até que chegam à linfa através dos gânglios.

Existem dois tipos principais de linfócitos: as células T e as células B. Os linfomas se desenvolvem a partir destes dois tipos de células. Os linfomas de células B são mais frequentes em adultos, enquanto que, em crianças, a incidência de linfomas de células B e T são praticamente idênticas.

As células B e T desempenham diferentes tarefas no sistema imunológico. Quando um agente infeccioso penetra no organismo, as células B produzem algumas proteínas conhecidas como anticorpos, que se ligam as bactérias e apontam para posterior destruição por parte de outras células do sistema imunológico. As células T ajudam a proteger o corpo contra os vírus.

Quando um vírus entra em uma célula, geralmente produz determinadas proteínas que se projetam sobre a superfície da célula infectada. As células T reconhecem estas proteínas e produzem citocinas para destruir as células infectadas. Algumas citocinas atraem outros tipos de células que podem digerir as células infectadas por um vírus. As células T também podem destruir todas as células cancerosas.

Os linfomas, podem ser divididos em dois tipos principais: o linfoma de Hodgkin e linfoma não Hodgkin. Existem pelo menos dez tipos de linfoma não Hodgkin, que são classificados de acordo com a sua agressividade: de crescimento lento, de crescimento intermediário e de crescimento rápido.
A maior parte dos linfomas não Hodgkin começam nos gânglios linfáticos. Aproximadamente 20% começam em outros órgãos, como os pulmões, o fígado e o trato gastrointestinal. Quando os linfomas aparecem, as células malignas se multiplicam descontroladamente e não realizam suas funções normais, o que afeta a capacidade do organismo para combater as infecções.

Além disso, as células malignas podem invadir a medula óssea e, dependendo do estágio, evitam a produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas normais. A baixa contagem de glóbulos vermelhos provoca anemia, enquanto que uma redução no número de plaquetas torna a pessoa suscetível à hemorragia significativa. As células cancerosas também podem invadir outros órgãos do sistema circulatório linfático, produzindo um mau funcionamento do mesmo.

A causa exata dos linfomas não Hodgkin não é conhecida. Em geral, os homens têm um risco mais elevado do que as mulheres, e também, o risco aumenta com a idade. Embora possa afetar pessoas com menos de 40 anos, o maior risco se encontra entre 60 e 69 anos. Além disso, o número de casos de linfomas não Hodgkin tem aumentado significativamente nos últimos anos, em grande parte devido ao aumento da SIDA (por motivos não muito bem compreendidos, os pacientes com SIDA são mais propensos a desenvolver linfoma não Hodgkin).

As pessoas expostas a determinados pesticidas e radiação ionizante apresentam uma maior probabilidade de desenvolver esta doença. Por exemplo, tem-se observado um aumento da incidência de linfomas em sobreviventes da bomba atômica em Hiroshima e aquelas que tenham sido submetidas à terapia de radiação agressiva.

Aqueles com deficiência imunitária, além dos que foram tratados com fármacos imunossupressores por transplantes de coração ou renais, e doenças como artrite reumatoide e outras doenças autoimunes, mostram um aumento do risco de desenvolver a doença.

Alguns estudos encontraram uma associação entre os retrovírus, como o HTLV-I, e algumas formas raras de linfomas. O vírus de Epstein-Barr tem sido associado com o linfoma de Burkitt na África. No entanto, não foi estabelecida uma relação direta de causa e efeito.

Os sintomas dos linfomas costumam ser vagos e inespecíficos. Os pacientes podem experimentar perda de apetite, perda de peso, náuseas, vômitos, desconforto abdominal e indigestão. O paciente pode queixar-se de uma sensação de plenitude, que é o resultado do aumento do tamanho dos gânglios linfáticos no abdômen. Outro sintoma é a dor ou pressão na região lombar.

Em estágios avançados, o paciente pode ter dor óssea, dor de cabeça, tosse constante e congestão anormal na face, pescoço e parte superior do tórax. Alguns mostram febre e suores noturnos. A maioria dos pacientes procura um médico para verificar a presença de gânglios inchados no pescoço, axilas ou virilhas.
Todos estes sintomas são comuns a muitas doenças, por isso é essencial para procurar atendimento médico se algum deles persiste durante duas semanas ou mais. Apenas um médico qualificado pode diagnosticar corretamente se os sintomas se devem a um linfoma ou outra doença.

O linfoma compromete a vida do paciente, e é essencial um tratamento médico. Os remédios caseiros e naturais podem ajudar, de forma complementar, a reduzir a dor e promover o relaxamento e a cura.

Remédios Caseiros Para Linfoma:

  • Despeje um punhado de folhas de salsa em um litro de água e deixe ferver por 10 minutos. Tome ao longo do dia. Os fatores de crescimento são a principal causa de linfoma e de outros tipos de câncer, mas felizmente, a salsa tem sido relacionada com a inibição do crescimento epitelial, protegendo assim o corpo contra o linfoma, ou abrandando a sua propagação.
  • Despeje 1 colher de sopa de folhas de oliva em uma xícara de água que está fervendo. Cubra e deixe esfriar. Tome uma xícara por dia. Este remédio é rico em polifenóis e flavonoides que são extremamente importantes na defesa que tem o organismo contra o câncer.
  • Consuma 3 xícaras de chá verde por dia. Este chá é rico em catequinas e epicatequinas; substâncias naturais contra o câncer e antitumorais, de modo que os efeitos concentrados do chá verde resultam eficazes no que protege de uma grande variedade de cânceres, incluindo linfomas.
  • Despeje 1 colher de sopa de raiz de gengibre e outra de raiz de astrágalo em meio litro de água e deixar ferver por 10 minutos. Cubra e deixe esfriar e tome ao longo do dia. Este remédio ajuda não apenas a combater as náuseas causadas pela quimioterapia, mas também reforça o sistema imunológico.

Recomendações: Procurar sessões de terapias como acupuntura, hipnoterapia e imaginação guiada, já que podem ser ferramentas úteis para tratar a dor dos linfomas. A acupuntura utiliza uma série de pequenas agulhas localizadas na pele em lugares determinados. Em teoria, isso harmoniza o fluxo de energia no organismo e pode ajudar a melhorar a função do sistema imunológico.

Na imagem dirigida, os pacientes criam imagens mentais que promovem o relaxamento e melhoram a sua capacidade de lidar com o desconforto e a dor. Outra técnica de imaginação guiada envolve a criação de uma imagem mental da dor. Quando a dor se visualiza, os pacientes podem ajustar a imagem para torná-la mais agradável.

Naturalmente, qualquer outra atividade que favoreça o bem-estar, como o exercício físico, redução do estresse, meditação, yôga e tai chi, também pode beneficiar o paciente. A nutrição adequada e algumas dietas especializadas podem ajudar a curar os linfomas.

Embora o risco de apresentar câncer possa ser reduzido, seguindo uma dieta adequada e um estilo de vida saudável, atualmente não se conhece nenhuma forma de prevenir os linfomas, nem existem testes especiais para detectá-los de forma precoce.

Devemos prestar atenção imediata aos sinais e sintomas desta doença e consultar o seu médico se persistirem. Esta é a melhor estratégia para o diagnóstico precoce e a que permite uma maior chance de cura.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto