O Que é Retinopatia Diabética?

A propagação e os efeitos sobre os vasos sanguíneos dentro do olho de pessoas com diabetes mellitus provoca a retinopatia diabética.

Causas

A diabetes é uma doença sistêmica que tem como complicação mais importante a perda de visão.

Demasiado açúcar (glucose) no sangue provoca danos significativos nos vasos sanguíneos em todo o corpo.

Tais lesões se manifestam com particular intensidade a nível da retina, causando o surgimento da chamada retinopatia diabética.

Sua aparência está relacionada ao tempo de evolução do diabetes e ao grau de controle dos níveis de glicose no sangue.

Sintomas

A retinopatia diabética é dividida em dois tipos:

Retinopatia diabética exsudativa: a que reduz a visão alterando a central da retina chamada mácula. A perda de visão é relativamente rápida e contínua. A visão é reduzida para os contrastes entre luz e sombra, e as formas das coisas.

Retinopatia diabética proliferativa: em que a visão é reduzida pelo surgimento de novos vasos sanguíneos e hemorragias na cavidade vítrea (câmara posterior do olho). A perda de visão ocorre em etapas, como são produzidos sangramento, visão turva. Muito frequentemente causa descolamento de retina.

Retinopatia Diabética

Fatores de Risco

Diabetes mellitus mal controlada.

Outros fatores que afetam os vasos sanguíneos, tais como:

  • Tabagismo.
  • Obesidade.
  • Hiperlipidemia (colesterol alto).
  • Hipertensão.

Leia também: “Controlar e Reduzir a Retinopatia de Forma Natural“.

Prevenção

Controle total da diabete é a melhor medida preventiva possível, porém não impede a ocorrência dessa complicação, mas há atraso e diminui significativamente o seu progresso.

Também devem ser verificados outros fatores de risco mencionados acima. Para evitar a diminuição da visão, a verificação olho é necessária para todos os pacientes diagnosticados com diabetes, mesmo alegando ter boa acuidade visual.

Os distúrbios visuais, quando presentes, mostram já uma fase avançada da doença e na maioria dos casos, a intervenção médica só pode ser destinada a manutenção, mais para melhorá-lo.

Diagnóstico e Tratamento

Idealmente, o diagnóstico deve ser feito antes de ser observado visualmente, através de exames regulares.

Em alguns pacientes, um exame clínico normal não é suficiente para avaliar corretamente as lesões que ocorrem e existe a necessidade de realizar uma angiografia fluoresceínica para verificá-los.

Quando a retinopatia diabética é diagnosticada precocemente, existem métodos eficazes para prevenir a deficiência visual.

Tratamento: o tratamento da retinopatia diabética é baseado principalmente no controle rigoroso dos níveis de glicose no sangue.

Para alcançar este objetivo, é essencial o trabalho do médico e/ou endocrinologista e cooperação do paciente.

Hoje, a técnica mais eficaz para o tratamento da retinopatia diabética é a fotocoagulação com laser de argônio.

O tratamento com laser deve ser feito o mais cedo possível para parar o desenvolvimento da retinopatia.

Várias técnicas de fotocoagulação e indicação de oftalmologista, dependendo da situação de cada paciente. Em muitos casos, é necessário realizar várias sessões de laser para completar o tratamento.

Outra possibilidade é a vitrectomia (técnica cirúrgica que substitui o vítreo, gel que preenche a parte posterior do olho, o polímero artificial) utilizada, por exemplo, quando não reabsorvem a hemorragia vítrea após um certo tempo.

Possíveis Complicações

A incidência da cegueira por retinopatia diabética tem aumentado nos últimos anos graças ao aumento da expectativa de vida dos pacientes diabéticos, necessitando, portanto, avançar no diagnóstico precoce das complicações oculares do diabetes.

As complicações mais comuns da retinopatia diabética são:

Hemorragia vítrea: hemorragia dentro do olho, pode deixar manchas permanentes que impedem a visão.

Descolamento de retina: a camada que capta a luz no fundo do olho está com problemas. Se isso não for resolvido rapidamente, pode deixar a área cega.

Se isso afetar a mácula (área de visão) ocorre a perda de visão.

Prognóstico

Quando detectada a tempo é controlável.