Sepse E Choque Séptico: O Que Todo Paciente Deve Saber

A sepse pode ser uma complicação perigosa em quase todos os tipos de infecções, inclusive na gripe, na pneumonia e na intoxicação alimentar, assim como nas infecções do trato urinário ou nas infecções da corrente sanguínea, como resultado de um ferimento e nas infecções abdominais. O Dr. Steve Peters, pneumologista e intensivista da Clínica Mayo e autor especialista de uma recente visão geral sobre a sepse publicada na revista médica Mayo Clinic Proceedings, explica a síndrome, seus fatores de risco, a diferença entre sepse grave e choque séptico, assim como o tratamento normal da sépsis.

Em Que Consiste a Sepse?

A sepse se apresenta quando as substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea para combater uma infecção desencadeiam uma resposta inflamatória em todo o corpo. Esta inflamação pode desencadear uma inundação de mudanças capaz de danificar vários sistemas orgânicos e provocar sua falha.

Sepse e Choque Séptico: O Que Todo Paciente Deve Saber

"Muitas infecções podem causar isso", diz o Dr. Peters. "É mais comum com as infecções bacterianas, mas a sepse também pode se produzir por outro tipo de micróbios".

Leia também: "Tratamentos Naturais Para Infecções Virais".

Quais São os Sintomas de Sepse Grave

Entre os sinais estão: febre alta, incapacidade de manter líquidos no corpo, taquicardia, respiração acelerada e superficial, letargia e confusão. O Dr. Peters recomenda que diante da suspeita de sepse, se busque atenção médica imediata porque a intervenção rápida é fundamental.

"Por exemplo, quando alguém sente um pouco de congestão nasal e dores por todo o corpo, como se fosse uma gripe ou uma doença das vias respiratórias superiores que tantas vezes antes tenha se apresentado, ou tem uma febre baixa de 37,2ºC ou 37,7ºC, mas caso contrário pode seguir com a sua vida e beber líquidos, não é preciso procurar o departamento de emergência. No entanto, quando uma pessoa não pode reter líquidos, está mais sonolenta e letárgica, quer permanecer deitada durante todo o dia e começa a parecer doente ou mostrar confusão, então essa pessoa deve consultar um médico sem dúvida alguma", explica o médico.

Como se Trata a Sepse

O primeiro passo é o diagnóstico, que é realizado mediante hemoculturas e outras partes relevantes do corpo. São administrados líquidos por via intravenosa e, geralmente, se começa com antibióticos de imediato.

"O mais importante possivelmente é manter os líquidos, porque é provável que o dano comece com a perda de líquidos", comenta o Dr. Peters.

Quando a sepse é grave (com taquicardia, respiração acelerada e falta de ar) e a administração de líquidos não incita a rápida recuperação, geralmente é preciso hospitalizar o paciente.

Leia também: "Descoberta Uma Nova Bactéria Relacionada a Infecções Orais".

Qual é a Diferença Entre Sepse, Sepse Grave e Choque Séptico?

Sepse refere-se aos sinais de inflamação que se apresentam diante de uma suposta infecção, diz o Dr. Peters.

"Sepse grave significa que a pessoa tem sepse e também apresenta sinais de dano orgânico, que pode ser de lesão pulmonar, alteração da função renal ou alteração da função hepática", explica o Dr. Peters. "Choque séptico significa que a pessoa apresenta tudo o que está relacionado com a sepse grave e que depois da administração de líquidos, a pressão arterial e a excreção de urina ainda são ruins e tem problemas respiratórios, além de continuar apresentando sinais de sepse".

O choque séptico pode ser fatal. Em pacientes hospitalizados, a ligação entre o choque séptico e risco de morte é de 20% a 30%, diz o Dr. Peters.

A sepse é tão inquietante nas unidades de cuidados intensivos dos hospitais que a Clínica Mayo desenvolveu um "sniffer" de sepse para conseguir detectá-la nos pacientes e ver quem corre mais risco.

Todos nós corremos risco de desenvolver sepse. No entanto, aqueles que recebem quimioterapia ou outros fármacos imunossupressores estão em maior risco, assim como os idosos e aqueles que têm feridas abertas que podem derivar em uma infecção. Geralmente, para os pacientes com imunossupressão são administrados antibióticos de maneira preventiva.

O Que Pode Ser Feito Para Evitar a Sepse Quando Uma Pessoa Contrai Gripe ou Outra Doença?

"É importante para medir a temperatura, porque isso permite avaliar bem a possível gravidade do assunto", indica o Dr. Peters. "O mais importante, possivelmente, é continuar tomando líquidos. Deve-se também prestar atenção aos sinais e sintomas, além de buscar urgentemente atenção médica diante da suspeita de sepse".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Confira Mais Sobre Esse Assuto