A síndrome de Pierre Robin é uma doença congênita (de nascimento) causada por um mau desenvolvimento dos arcos viscerais 1º e 2º que formam os ossos faciais e as orelhas.

Causas da síndrome de Pierre Robin:

As causas específicas são desconhecidas, mas está associada a diversas doenças genéticas, com isso se suspeita que possa ter um componente genético. As anomalias faciais ocorrem até a 7ª semana do desenvolvimento embrionário por problemas no desenvolvimento da mandíbula. Tem uma incidência aproximada de 1 em cada 10.000 a 15.000 recém-nascidos.

Sintomas da síndrome de Pierre Robin

Caracteriza-se por três anomalias físicas características:

  • Palato rachado.
  • Mandíbula pequena ou pouco proeminente (retrognatismo/micrognatia).
  • Queda da língua para trás (glossoptose).

Podem se apresentar também outros sintomas associados como:

  • Problemas nos olhos (descolamento de retina, glaucoma, miopia).
  • Problemas nos ouvidos (otite, problemas de audição).

Os maiores problemas causados pela síndrome de Pierre Robin são as dificuldades por obstrução das vias aéreas devido à posição anormal da língua e da mandíbula.

Também podem existir problemas de alimentação por dificuldades entre a deglutição e a respiração ou para mamar pelas anomalias faciais.

Síndrome de Pierre Robin: O Que É, Causas, Sintomas e Tratamento

Tratamento para síndrome de Pierre Robin:

Para ajudar a evitar as obstruções respiratórias que podem provocar afogamento são recomendadas as seguintes medidas, dependendo da gravidade:

  • Sempre coloque o bebê de boca para baixo para evitar que a língua caia para trás e feche as vias aéreas.
  • Coloque uma sonda nasofaríngea para facilitar a respiração (ou uma sonda nasogástrica para a alimentação).
  • Realize uma traqueotomia nos casos mais graves.
  • O palato rachado pode ser corrigido por cirurgia.

À medida que a criança cresce, o faz também a mandíbula, melhorando sua respiração e alimentação.