Um ataque ou derrame cerebral (também conhecido como acidente cerebrovascular ou AVC) não é tão fulminante como muitos temem. Ao estar alerta para alguns sinais, você tem a oportunidade de descobrir quando algo anormal está acontecendo em seu cérebro e buscar ajuda imediatamente para evitar consequências graves. Estes sinais são como pequenos SOS que o seu cérebro envia para te dizer que precisa de ajuda.

Quando o sangue não está fluindo em seu cérebro, as células começam a morrer, pois deixam de receber os nutrientes e o oxigênio que necessitam para funcionar. Isso se chama acidente vascular cerebral ou derrame cerebral.

Qual é a Diferença entre um Acidente Vascular Cerebral e um Derrame Ccerebral?

Os médicos chamam esses ataques de acidentes cerebrovasculares, que se dividem em dois tipos, dependendo da sua causa. O primeiro acontece quando um coágulo de sangue bloqueia a passagem de sangue em algum vaso sanguíneo que irriga o cérebro, e é chamado de acidente vascular cerebral trombótico, acidente vascular cerebral isquêmico ou acidente vascular cerebral. O segundo acontece quando um vaso sanguíneo se rompe e existe um sangramento no cérebro, e é chamado de acidente vascular cerebral hemorrágico ou derrame cerebral. Surpreendentemente, embora seja mais comum ouvir falar sobre o derrame cerebral, os acidentes vasculares cerebrais são mais comuns e ocorrem em 80% dos casos.

Independentemente da causa, ambos os “ataques cerebrais” são uma emergência médica, pois acontecem de repente e em poucos minutos podem deixar graves sequelas para a vida. São leves ou graves, dependendo de quanto sangue deixa de circular em certas partes do seu cérebro e por quanto tempo. E a gravidade dos danos ocasionados ao seu cérebro também depende de quão rápido você obteve ajuda médica.

SOS em seu Cérebro: Sinais de alerta de um Acidente Vascular Cerebral ou Derrame Cerebral

Por isso, é muito importante estar atento a qualquer sinal de alerta que indique que está acontecendo um acidente vascular cerebral para buscar atenção médica urgente. Estes são os sinais:

  • Dormência, entorpecimento ou fraqueza da face (rosto), braços ou pernas (especialmente em um lado do corpo).
  • Problemas para falar ou entender.
  • Confusão mental e problemas para pensar claramente.
  • Tontura.
  • Perda de equilíbrio e coordenação dos movimentos, e até mesmo dificuldade para caminhar.
  • Dor de cabeça severa, que pode ser acompanhada de dor na face ou na testa e até mesmo vômito.
  • Alterações da visão (vista) em um ou ambos os olhos.

A principal característica destes sinais é que aparecem de forma repentina. Inclusive, você pode não notar, e outros apenas achem que você está distraído ou se confundiu. Ensine sua família e amigos próximos quais os sinais de alerta e peça-lhes que estejam atentos a qualquer mudança no seu comportamento.

Leia também: “Propriedades dos Cítricos que Protegem o Cérebro de Derrames e Acidente Vascular Cerebral“.

Às vezes, estes sintomas duram apenas alguns minutos e, em seguida, desaparecem. Estes são conhecidos como “mini-derrames cerebrais” ou “acidentes vasculares cerebrais transitórios”. Quando você os sente, não os ignore porque é um sinal de que o sangue não está fluindo bem para o seu cérebro e sugerem que mais tarde você poderia ter um ataque severo.

Assim que notar algum desses sinais, ligue para 911 ou o número de emergência em sua área e busque atenção médica imediatamente. De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde, chegar ao hospital em menos de uma hora pode te ajudar a prevenir um dano maior ao seu cérebro. Como é provável que você não possa chegar por conta própria a um hospital ou chamar a emergência facilmente, peça ajuda a primeira pessoa que estiver próxima. Se você vive sozinho e acredita que pode ter algum risco de sofrer um acidente vascular cerebral ou derrame cerebral, seja precavido e planeje algumas estratégias para casos emergências, como avisar rapidamente um vizinho ou programar seu telefone para que possa discar 911 apenas pressionando uma única tecla.

Nem sempre é possível se dar conta de um acidente vascular cerebral ou derrame cerebral. Mas se o seu cérebro começa a enviar pequenos chamados de SOS, o melhor é estar alerta para atendê-lo a tempo.

Para mais informações, não deixe de ler também “Como Reduzir o Risco de Acidente Vascular Cerebral“.