Quando falamos de “coco” podemos estar nos referindo a uma árvore, uma fruta, um doce ou uma especiaria.

Como especiaria, coco é a polpa ralada e seca do fruto da majestosa palmeira que cresce selvagem em áreas tropicais e subtropicais do mundo.
Enquanto os nativos dessas regiões costumam usá-lo em receitas salgadas, nós o associamos com deliciosos doces (e todas as calorias que nos fornece), um hábito dietético que poderia ser responsável pela crença generalizada de que o coco é prejudicial para à saúde.

A verdade é que o coco apresenta um elevado teor de gordura, especificamente 82%, dos quais 76% são gorduras saturadas, ou seja, o tipo de gordura as quais se costuma aconselhar minimizar seu consumo devido ao fato de que podem obstruir as artérias.

E aqui está a surpresa: É precisamente a gordura saturada a que converte o coco em um superalimento! Pela simples razão de que a gordura saturada do coco não é igual à gordura saturada da carne ou do leite.

Na verdade, a gordura saturada do coco se denomina triglicerídeos de cadeia média (MCT). Para entender por que esta informação é importante, vamos olhar o mundo de gorduras.

Se você olhar para uma gota de gordura através de um poderoso microscópio que permite visualizar as moléculas e os átomos, o que você verá são os triglicerídeos: três (tri) ácidos graxos unidos a uma molécula de glicerol. Os ácidos graxos são cadeias de átomos de carbono ligados entre si.

Como Consumir o Coco Para Emagrecer

De acordo com o número de carbonos que contém, podem ser classificados em ácido graxos de cadeia curta, que contém entre 4 a 6 carbonos; ácidos graxos de cadeia longa, que contém 24 carbonos, e ácidos graxos de cadeia média, que contém entre 8 a 12 carbonos.

90% das gorduras – como acontece com as da carne e do leite – são os ácidos graxos de cadeia longa (LCT). Para serem transportados através da corrente sanguínea se associam com proteínas formando estruturas que se denominam quilomícrons e, portanto, podem chegar a todas as células.

No entanto, os TCM não são processados desta maneira: o organismo os envia diretamente do estômago para o fígado, onde são metabolizados em um piscar de olhos, e este processo metabólico super rápido queima mais calorias do que as contidas nos ácidos graxos.

Tem sido demonstrado que as pessoas que consomem uma grande quantidade de TCM em sua alimentação diária queimam uma média de cem calorias extras por dia, em comparação com as pessoas que não o fazem; pois bem, o coco contém mais TCM do que qualquer outro alimento.

Sim, você entendeu bem: a gordura de coco pode te ajudar a queimar calorias e, assim, manter o seu peso ou inclusive emagrecer.

Leia também: “Grandes Propriedades do Coco“.

A Gordura do Coco e o Processo de Emagrecimento:

Alguns pesquisadores canadenses dividiram 12 mulheres saudáveis em dois grupos e lhes atribuíram duas dietas diferenciadas durante duas semanas.

Ambas as opções continham 15% de proteínas, 45% de carboidratos e 40% de gorduras; até aqui, tudo normal. No entanto, 80% da gordura consumida pela metade das participantes eram provenientes de sebo de bovino, enquanto a outra metade tomou uma mistura de manteiga com óleo de coco; assim, ambos os grupos consumiram grandes quantidades de gorduras saturadas de cadeia longa (TCL), mas apenas um deles incluiu também triglicerídeos de cadeia média (TCM).

Após duas semanas, o grupo do coco tinha queimado cerca de 45% mais TCL!

As participantes não subiram nem baixaram de peso; o estudo não estava concebido como um experimento sobre perda de peso, mas para testar a hipótese de que os TCM são poderosos queimadores de gordura, e realmente conseguiu seu objetivo.

“A capacidade dos TCM” para aumentar a queima de ácidos graxos saturados de cadeia longa “sugere que podem desempenhar um papel no controle de peso em longo prazo”, concluíram os investigadores na Revista Internacional Journal of Obesity And Related Metabolic Disorders.

E em um estudo publicado na revista Lipids, alguns cientistas brasileiros realizaram um estudo com 40 mulheres, as quais dividiram em dois grupos: um grupo tomou suplementos de óleo soja, e o outro grupo, o óleo de coco.

Depois de três meses, ambos os grupos tinham perdido um pouco de peso, mas apenas o grupo do coco apresentava uma cintura muito mais estilizada (além de resultar antiestética, a gordura abdominal tem o mau hábito de liberar compostos inflamatórios que aumentam o risco de acidente vascular cerebral e doenças cardíacas). O coco, explicaram os pesquisadores, poderia “promover a redução da obesidade abdominal”.

É importante salientar que os pesquisadores observaram que o óleo de coco não aumentava os níveis do prejudicial colesterol LDL e sim aumentava os níveis do saudável colesterol HDL ou bom.

A partir daí você pode consumir, se estiver no processo de perder peso, mas lembre-se sempre de evitar os excessos e fazer exercícios para favorecer ainda mais a perda de peso.

Uma receita simples para emagrecer com o coco é a seguinte: Consumir 1 colher de chá de óleo de coco no café da manhã, o que tem um efeito saciante que combate a ansiedade por comida, o que facilita perder peso.