A dieta South Beach é uma dieta hiperproteica que é realizada em 3 fases e que aqueles que a recomendam advertem que não deveria ser feita nem por pessoas que têm insuficiência renal nem por pessoas com problemas hepáticos nem por mulheres grávidas, portanto, muito boa, muito boa, já vemos que não vai ser, mas por quê?

Como Funciona as Fases da Dieta South Beach?

Na primeira fase que dura 14 dias, é feita uma dieta hiperproteica, ou seja, as pessoas podem comer a quantidade de carne que desejarem, peixe, ovos e também podem comer saladas temperadas com azeite extra virgem de oliva.

Na segunda fase, aqueles que recomendam esta dieta dizem que é melhor para a saúde. (Mas, se é melhor para a saúde, não deveriam recomendá-la desde o início?). Vamos continuar… Esta segunda fase mantém o mesmo esquema que na primeira fase, mas permite pequenas quantidades de carboidratos complexos. Isso faz com que não seja perdida tanta massa muscular, já que na primeira fase se perdia bastante peso devido à perda de músculo.

Esta segunda fase dura o tempo que a pessoa desejar, dependendo do peso que deseja alcançar. Uma vez conseguido, se segue com a terceira fase. Nesta terceira fase, se passa para aquilo que eles chamam de uma alimentação normal, que realmente é o que deveria ser feito desde o início. Nesta fase são incorporados alimentos que levam mais carboidratos, mas se tenta consumir sempre uma maior quantidade de proteínas.

Como Funciona a Dieta South Beach? É Saudável?

Leia também: “Dieta Dukan: Dieta Para Perda De Peso“.

A Dieta South Beach Faz Mal?

A dieta South Beach é uma dieta hiperproteica e, como tal, pode danificar o fígado, os rins e se for prolongada no tempo ao cérebro, além de produzir cansaço e mau humor. Esta dieta não parece muito nova, nos lembra muitas outras dietas hiperproteicas.

As pessoas tentam inventar novas dietas, mas, em longo prazo, os alimentos têm uma série de componentes, e uma pessoa o que faz quando quer perder peso de maneira mais rápida é tomar muita proteína e consumir poucos carboidratos e não muitas gorduras. No final, todas são muito parecidas, apenas mudam o nome, como pode ser a dieta de Dukan, dieta de Cambridge, etc., mas todas são dietas hiperproteicas.

Quais proporções deveria ter uma alimentação adequada?

Uma alimentação adequada deveria 50% – 55% de carboidratos, especialmente complexos, já que passam lentamente para o sangue e não forçam o pâncreas, 10% a 12% de proteínas isoladas ou 0,8 – 1,0 gramas de proteínas/kg de peso corporal e 30% – 35% de gorduras, onde a metade deveria ser fornecida pelo azeite de oliva virgem. Se, além disso, você consome frutas, verduras e de forma variada, ao gosto de quem está consumindo, estará realizando uma alimentação fácil de fazer, muito equilibrada e que contribui para o organismo com tudo o que ele precisa, favorecendo a saúde, e melhorando a qualidade de vida.

Nós já fizemos uma publicação sobre como ter uma vida mais saudável: “Dicas Essenciais Para Ter Uma Vida Mais Saudável” e tudo o que é demais não vale a pena, já que, em longo prazo, é prejudicial para a saúde e as pessoas, dez anos depois de começar a fazer dietas, pesam mais do que quando fizeram a primeira.