Hoje nós vamos rever algumas das chaves que compartilham as dietas mais famosas. Entre o incontável número de dietas existentes, são muito poucas as que provaram o seu valor ao longo do tempo. Entre elas se encontram a dieta mediterrânea, a dieta baixa em carboidratos ou a dieta Paleo. Em muitos casos, defensores de algumas e outras se concentram em discutir o que distingue umas das outras, em vez de ver o que elas têm em comum.

E é que todas as dietas citadas e aquelas que provaram o seu valor ao longo do tempo, contam com uma série de semelhanças importantes.

Semelhanças das principais dietas:

É baixa em adição de açúcar. A adição de açúcar é o pior ingrediente em uma dieta. Embora algumas pessoas possam tolerar quantidades moderadas, sem problemas, a maioria das pessoas toma muito açúcar, fazendo com que o fígado fique sobrecarregado, e se verá obrigado a converter esse açúcar em gordura.

Parte da gordura é enviada para fora do fígado como colesterol LDL, elevando de significativa os triglicerídeos no sangue, embora algumas delas também se mantenham no fígado. Na verdade, existem evidências de que o açúcar é uma das principais causas da doença do fígado gordo não alcoólico.

Dicas Que Compartilham as Dietas Mais Famosas

O açúcar é associado com muitas outras doenças, como obesidade, diabetes tipo 2 ou doenças do coração, que são algumas das principais assassinas do mundo. Para piorar a situação, o açúcar proporciona uma grande quantidade de energia com praticamente nada de nutrientes essenciais.

Diante do exposto, praticamente todos concordam que a adição de açúcar é muito ruim. Assim, as dietas de maior sucesso reduzem o seu consumo.

A maioria das dietas eliminam os carboidratos refinados. Os carboidratos refinados realmente são grãos aos quais foram eliminados todos os seus benefícios, por isso já podemos imaginar que resultam todo menos recomendáveis em qualquer dieta. Para obter esses grãos refinados, os grãos integrais são pulverizados e, portanto, se elimina o farelo e o endosperma, que são as partes fibrosas e nutritivas. Por essa razão, os grãos refinados contêm pouco mais que o amido, cadeias de moléculas de glicose.

Este amido refinado fornece uma grande quantidade de energia, sem contribuir praticamente com nenhum nutriente essencial (calorias “vazias”). Além disso, sem a fibra que se encontra nos grãos integrais, o amido pode provocar um rápido aumento dos níveis de açúcar no sangue, resultando em ânsias e comer em excesso algumas horas mais tarde, quando os níveis de açúcar no sangue são reduzidos.

Os estudos têm mostrado a relação entre o consumo de carboidratos refinados, com todos os tipos de doenças metabólicas como obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas.

– Também elimina os óleos vegetais industriais. Nesta categoria entrariam os óleos de soja, de milho, de semente de algodão e de canola, entre outros. Todos eles têm um alto teor em ácidos graxos ômega-6 poli-insaturados, por isso muitas pessoas estão tomando uma grande quantidade deles.

Existem estudos que comprovam que o ácido linoleico, o principal ácido ômega-6 nos óleos vegetais, se incorpora nas células de gordura corporal. Em seu caminho se encontra com lipoproteínas LDL, tornando-os mais propensos a se oxidar. Este é um processamento chave na doença cardíaca. Também contribui para a disfunção endotelial, um dos primeiros passos para a doença cardíaca.

Observe também que muitos estudos vinculam o consumo destes óleos vegetais, com uma maior incidência de câncer. Por fim, vale ressaltar que a maioria dos nutrientes benéficos foi eliminada nestes óleos. São, portanto, também calorias ‘vazias’.

Retiram da dieta as gorduras trans artificiais. Existe unanimidade no momento de destacar o quão insalubre são as gorduras trans artificiais. Muitos estudos têm demonstrado que estão altamente relacionadas com o aumento da inflamação e a doença cardíaca. Além de serem tóxicas, não são naturais e não têm nenhum benefício para a saúde.

– As melhores dietas são ricas em verduras e fibras. A maioria das dietas elimina algum tipo de alimento. No entanto, as melhores dietas estão de acordo quanto à importância de consumir muitas verduras, já que são muito saudáveis. O consumo de vegetais está associado com um menor risco de sofrer muitas doenças.

As verduras são ricas em antioxidantes e contém todos os nutrientes, estão carregadas com fibra, ajudam a perder peso e alimentam as boas bactérias no intestino.

O mesmo poderia ser dito das frutas, que são incluídas inclusive nas dietas baixas em carboidrato.

E estas são as chaves que compartilham as dietas mais famosas. Como você vê têm muitos pontos em comum, além disso, existem muitos mitos sobre elas, tal e como te contamos no artigo: “Mitos falsos sobre as dietas de emagrecimento”.