O povo japonês se caracteriza pela ingestão de uma dieta equilibrada e saudável, fruto das condições geográficas e sociais do território e tem sido transmitida através das gerações.

O fato de habitar uma terra pouco fértil e muito povoada durante séculos, fez com que a população tivesse que aguçar o seu juízo para buscar alimentos e aproveitar cada palmo de terreno ao máximo. O resultado é uma dieta exportável para outras partes do mundo pelos benefícios que têm. Por isso, dedicamos este artigo à dieta japonesa: o que é, alimentos e benefícios.

Como Funciona a Dieta Japonesa:

A alimentação comum dos japoneses tem como elemento dominante os carboidratos (mais de 60% do total), em segundo lugar as gorduras e em terceiro lugar as proteínas. O equilíbrio de alimentos é a razão pela qual a obesidade é praticamente inexistente, o índice de longevidade muito alto e há uma incidência muito baixa de doenças cardiovasculares. Além disso, embora a ingestão de gorduras seja moderada, é preciso lembrar que estas são, em muitos casos, ácidos do grupo ômega, ou seja, insaturados, por isso resultam mais saudáveis.

Além de ingerir menos calorias por prato, é preciso considerar os seguintes hábitos e costumes na alimentação que seguem a maioria dos japoneses:

Dieta Japonesa: Como Funciona, Alimentos Permitidos e Benefícios

  • As quantidades que ingere um japonês por prato principal são significativamente inferiores as dos ocidentais. Prima a qualidade sobre a quantidade, tanto nutricionalmente como, inclusive, visualmente (a apresentação do prato).
  • Comem mais devagar e saboreiam a comida, o que favorece a digestão dos alimentos e a sensação de saciedade.
  • Não costumam comer sobremesa nas refeições diárias, nisso guardam similaridade com outros povos asiáticos.
  • Não ingerem laticínios, porque, como outros povos asiáticos, não desenvolveram o mesmo nível de tolerância orgânica que os ocidentais.
  • Não consomem com frequência frituras e preparados desse tipo.
  • Sua principal refeição é o café da manhã e os jantares são frugais, o que é lógico, se vamos ter mais atividade durante a manhã e o meio do dia e isso vai diminuindo com o entardecer. Tampouco costumam beliscar entre as refeições, com exceção de alguma bebida.
  • Embora nas últimas décadas isso tenha mudado, e não para melhor, os japoneses tinham uma série de hábitos, como a meditação ou as caminhadas diárias que ajudavam a manter o equilíbrio do corpo e da mente.

Leia também: “Dieta dos Japoneses Macrobiótica“.

Alimentos da Dieta Japonesa:

No Japão se consome como alimento principal o arroz (recomenda-se o integral). O arroz é consumido diariamente e, em muitas ocasiões, mais de uma vez; uma alternativa que tem ganhado peso nos últimos anos é o consumo de macarrão para substituir a principal fonte de carboidratos. Por tudo isso, o consumo de pão é praticamente inexistente, porque historicamente os japoneses já tinham um produto que ocupava o seu lugar na dieta habitual.

O peixe é a principal fonte de proteínas para os japonês, lógico, se considerarmos que é uma das principais potências de pesca no mundo e, hoje em dia, é o maior consumidor per capita. Podem ser comidos crus ou cozidos, como o chamado sushi, que se converteu no prato estrela da cozinha japonesa no exterior. Outra contribuição de proteínas vegetais é através do tofu ou da soja, alimentos de uso muito comum.

Por um lado, os japoneses costumam comer vários tipos de vegetais, desde bambu até cogumelos, passando pelas algas marinhas e variedades mais convencionais, como o repolho. Acompanham arroz, peixe e inclusive fazem parte da “decoração” do sushi. Por outro lado, consomem frutas frescas com frequência e em pequenas quantidades, apostando especialmente pelas variedades locais de maçãs e tangerinas.

Uma bebida de consumo habitual é o chá verde, que faria o papel do café no Ocidente, mas com uma contribuição de calorias próxima a zero. Nas grandes cidades se compra não apenas em estabelecimentos específicos, mas também em máquinas de venda automática e é um clássico que não falta em quase nenhum lar.

Os japoneses comem muito pouca carne, embora deve-se notar que a carne de vitela de Kobe é considerada uma das mais saborosas do mundo e vendida como uma iguaria fora do país, pois se caracteriza por ser muito macia e, em muitos casos, tem um ponto de infiltração de gordura que a torna suculenta.

Benefícios da Dieta Japonesa:

Em primeiro lugar, é importante destacar que uma dieta que tem um fornecimento baixo de gorduras, mas nem por isso de calorias. Neste sentido, a ingestão calórica média é semelhante a que pode ingerir um ocidental (um pouco menos), embora seja diferente a proporção de cada nutriente no conjunto.

Em segundo lugar, se você consumir esta dieta aprenderá a apreciar o que come, já que os japoneses apostam pelos alimentos frescos, embora tenham que adquirir em menor quantidade. Adquirir este novo hábito de se informar bem sobre cada produto te servirá para desfrutar mais de suas refeições no futuro.

Em terceiro lugar, é uma dieta fácil de seguir, pois, geralmente, os alimentos, embora frescos, não resultam especialmente caros, e sempre podemos adaptar ao nosso bolso, por exemplo, comprando peixe mais barato se assim temos que fazer, sem que por isso sofra balanço global.

Por fim, é uma dieta que te fará perder peso se você realiza exercício, porque o metabolismo da maioria dos ocidentais está acostumado com uma ingestão de gorduras de origem animal muito maior do que a que fornece esta dieta. Com menos esforço, você pode conseguir resultados melhores e sustentados ao longo do tempo.

Portanto, esta é uma opção saudável, se você deseja mudar seus hábitos alimentares sem renunciar aos principais nutrientes e que, a priori, não tem contraindicações importantes, embora seja sempre conveniente consultar um especialista.