Além de prevenir a morte prematura, o exercício físico pode prevenir a doença cardíaca, doença cerebrovascular, hipertensão, câncer de cólon e de mama, diabetes mellitus tipo 2, síndrome metabólica ou depressão. Isso foi demonstrado por uma investigação feito no Hospital Puigcerdà e da Faculdade de Medicina da Universidade de Girona, publicado na revista “Clínica Médica”. Os resultados são baseados em rastreamento de cerca de 1,5 milhões de indivíduos ao longo de 11 anos.

“Alguns estudos mostram que mesmo uma atividade mais leve pode reduzir o risco cardiovascular. Caminhar uma hora por semana reduziu em 50% o risco de doenças cardíacas e uma sessão semanal de exercícios intensos reduz a mortalidade cardiovascular em 39% nos homens e 51% nas mulheres”, escrevem os autores. Os benefícios aumentam com o volume e a intensidade do exercício. Os exercícios moderados são recomendados pelos especialistas por, pelo menos, meia hora de 5 dias por semana, ou exercícios vigorosos por, pelo menos, 20 minutos em 3 dias por semana.

Em relação ao câncer, em uma pesquisa de 1,4 milhões de pacientes seguidos por 10 anos, houve uma redução de 30% na incidência de câncer do cólon no grupo ativo. Em outra pesquisa, desta vez mais de 1,8 milhões de pacientes seguidos por 10 anos, houve uma redução na incidência de câncer da mama 20-40% no grupo ao qual foi aplicada a prática de exercício. Além disso, o exercício alcançou uma redução de 42% na incidência de diabetes tipo 2 em uma pesquisa sistemática de 624.000 pacientes acompanhados por cerca de nove anos.

Praticar Exercícios pode Evitar 15 Doenças

Também é útil para prevenir a síndrome metabólica e reduzir a prevalência da osteoporose, reduzindo a incidência de fraturas. De acordo com uma análise de 4.100 pacientes, o exercício moderado ajuda na redução da dor e da deficiência resultante da osteoartrite, especialmente no caso da osteoartrite do joelho.

É também eficaz na redução do risco de limitação funcional e incapacidade física, baixando entre 30% e 50%. Além disso, um programa de exercícios de força e equilíbrio melhora a função física e reduz o risco de queda entre 11% e 40%. Além disso, diminui o risco de demência e declínio cognitivo em pessoas com mais de 65 anos e qualquer forma de atividade física diária por 41% reduz o risco de distúrbios psicológicos, de acordo com uma análise de 19.800 pacientes.

Em suma médicos aconselham a prática de exercícios em qualquer idade.