Você pode ter ouvido sobre os medicamentos para reduzir o apetite, a banda gástrica e cirurgia bariátrica ou cirurgia de derivação que altera a continuidade do aparelho digestivo e interrompe a absorção dos nutrientes que se consome, a fim de perder peso. Agora, a este arsenal, se une um novo dispositivo, o balão gástrico. Aqui te descrevemos do que se trata.

Se você tem um índice de massa corporal (IMC) de 30 a 40, ou seja, se encontra dentro do grupo da obesidade, e já tentou dietas, exercício e nada funcionou, talvez se interesse em saber que, além da banda gástrica e da cirurgia bariátrica (ou cirurgia de derivação) mais radical, agora a Agência de Alimentos e Medicamentos (conhecida como FDA, por suas siglas em Inglês) aprovou um novo dispositivo chamado Reshape dual ballon system que é como um balão gástrico para ajudar a perder peso.

De acordo com informações no comunicado de imprensa, não se sabe exatamente como funciona, mas acredita-se que causa uma sensação de plenitude (de estar cheio/a) quando se introduz pela boca através de um endoscópio (um tubo muito fino) no estômago e se enche com solução salina. É claro que não é deixado indefinidamente, é um balão temporário que deve ser removido após 6 meses. O procedimento para colocá-lo e removê-lo não requer hospitalização. Demora menos de 30 minutos.

O Balão Gástrico: Um Novo Dispositivo Para Perda de Peso

Leia também: “Nova Técnica de Cirurgia Bariátrica“.

Quanto peso você poderia perder? No estudo que realizaram incluíram 326 pacientes com um grupo controle. Aqueles que tiveram o balão gástrico durante 6 meses perderam uma média de 6,49 quilos em comparação com os do grupo controle, que perderam 3,3 quilos neste tempo.

Se você está pensando em falar com um médico que aplique o dispositivo, deve saber que existem alguns riscos durante a colocação. Entre eles: náuseas, dores musculares, dor de cabeça e, raramente, reações alérgicas graves, ataque cardíaco, infecção, danos ao esôfago (o tubo que liga a boca ao estômago) ou dificuldade para respirar.

É interessante que este dispositivo tem sido utilizado na Europa e na América do Sul e que apenas foi recentemente aprovado nos Estados Unidos. A FDA deverá ter vários estudos antes de aprová-lo devido a várias complicações que se apresentaram com um dispositivo anterior. Tratava-se de um balão no estômago que surgiu em 1980. As complicações consistiam em que se o balão se rompia ia para o intestino delgado causando obstrução ou até perfuração.

Por outro lado, o novo balão gástrico não é para todos. Além disso, a pessoa deve ter um IMC (índice de massa corporal) de mais de 30 a 40, existem algumas contraindicações. Não é possível utilizar em pessoas que têm uma doença inflamatória do intestino (como a doença de Crohn) ou uma doença do intestino em geral, se tiver uma hérnia do diafragma ou hérnia hiatal grande, se têm problemas com o esvaziamento do estômago, se teve cirurgia gastrointestinal ou bariátrica previamente, se têm uma infecção pela bactéria H. Pylori, nesse momento, se estiver grávida e/ou, se toma aspirina diariamente.

Claro, o ideal é conseguir estabelecer hábitos alimentares e uma rotina de exercícios que te permita perder de um a dois quilos por semana. Mas quando não funciona e até afeta sua saúde, pode valer a pena você conversar com seu médico sobre os medicamentos para obesidade (que também podem ter efeitos colaterais e não podem ser tomados por toda vida) ou outros procedimentos como este que são menos invasivos que uma cirurgia bariátrica.