"Muitas pessoas que desejam perder peso optam pelo consumo de remédios para emagrecer, já que muitas delas prometem a perda de peso de forma rápida e segura. Mas precisamos estar atentos e sempre consultar um médico antes de começar a consumir qualquer tipo de medicamento, pois todos envolvem riscos. Hoje te contamos sobre os riscos e precauções que é preciso levar em conta antes de começar a consumir qualquer tipo de remédio para emagrecer."

Os remédios para emagrecer nos prometem perder peso de forma rápida e segurança, muitas vezes sem sequer manter a dieta ou fazer esporte. Algumas estão à venda em muitos estabelecimentos, embora em casos extremos apenas possam ser compradas no mercado negro. Em qualquer caso, os especialistas dizem que podem provocar efeitos colaterais muito prejudiciais, por isso vamos ver os riscos e as precauções que é preciso ter com elas.

Há muito tempo que estes suplementos são cercados de polêmica. Na verdade, no ano passado a Sociedade Espanhola para o Estudo da Obesidade (Sedo) alertou sobre os perigos dessas substâncias, que foram proibidas nos Estados Unidos na década de 70 e na Espanha, no início dos anos 90. Também a Food and Drug Administration (FDA), nos Estados Unidos informou sobre os perigos que envolvem o consumo desses fármacos.

Muitos desses remédios não são reguladas por nenhuma instituição, o que pode causar graves efeitos secundários. E muitas delas contêm ingredientes que não são listados em seus rótulos, como sibutramina, femproporex ou furosemida, que não são aprovados para uso em medicamentos para perda de peso.

Efeitos dos remédios para emagrecer:

Entre os possíveis efeitos dos remédios para emagrecer encontramos náuseas, aumento da frequência cardíaca, dor de cabeça e de estômago, hipertensão, perda de cabelo, impotência e depressão. Também podem provocar fortes reações alérgicas, colocando em verdadeiro perigo nossa saúde. Por outro lado, estudos mostram que a maioria desses medicamentos, nem sequer ajudam a perder peso.

Os problemas digestivos são muito comuns quando se consome estas substâncias. Isto se deve, principalmente, ao fato de que contém bloqueadores de gordura que reduzem a absorção de nutrientes, provocando assim inchaço estomacal, dor abdominal e diarreia. Além disso, muitas delas combinam cafeína com outros diuréticos, o que leva à desidratação extrema.

Outro detalhe para levar em conta é que pode provocar reações adversas quando consumidas juntamente com outros fármacos. Por exemplo, influencia no efeito da anestesia e no de alguns antibióticos. É por isso que devemos informar sempre o nosso médico antes de começar a consumir qualquer medicamento.

Devido ao seu alto teor de componentes estimulantes, esses remédios para emagrecer aumentam perigosamente a frequência cardíaca, com isso aumenta significativamente o risco de problemas cardiovasculares.

Muitas delas afirmam conter apenas ingredientes naturais, algo que costumamos associar a substâncias inofensivas. Mas, ao contrário disso e devido aos processos de fabricação não são controlados, as plantas cultivadas para a fabricação destes medicamentos podem ser identificadas erradamente ou substituídas de propósito por outras. Além disso, muitos ingredientes à base de plantas interagem com muitos medicamentos de prescrição.

A verdade é que para perder peso, a única solução é optar por uma alimentação balanceada e praticar exercício físico regularmente. Tudo se resume a adotar um estilo de vida saudável.

Você sabia dos riscos que podem levar esses remédios para emagrecer?