Quando se trata de emagrecer, a maioria das pessoas quer atacar e reduzir o tempo normal e o esforço necessário para alcançar o objetivo.

Um dos atalhos mais comuns usados pelas pessoas no caso da perda de peso incluem pílulas para emagrecer, que não apenas prometem a perda de peso rápida, mas também garantem que você não precise se exercitar.

Todos os comprimidos para emagrecer podem causar efeitos colaterais desagradáveis, criar dependência dos mesmos e podem interferir com outros medicamentos. Se as pílulas para emagrecer são tomadas sem receita médica, isso pode trazer alguns riscos.

A overdose acidental é um problema comum quando se toma essas pílulas dietéticas, o que conduz a um maior risco de dependência tanto física como psicológica, dores de cabeça, pressão alta, palpitações cardíacas e arritmias, incluindo ataques cardíacos.

Leia também: “Alguns Medicamentos Para Emagrecer, Podem Atrapalhar o Desenvolvimento do Cérebro das Crianças“.

Os efeitos colaterais das pílulas para emagrecer que atuam no cérebro para reduzir o apetite incluem: aumento da pressão arterial, dor no peito, febre, perda de cabelo, depressão, impotência, problemas cardíacos, entre outros. Os efeitos colaterais das pílulas que trabalham no estômago incluem: diarreia, descarga inesperada fecal e fezes oleosas.

Outros perigos e efeitos colaterais dos medicamentos para emagrecer sem receita médica podem variar muito, porque muitas dessas pílulas contêm um coquetel de ingredientes e instruções de dosagem que podem ser inadequadas. Os possíveis efeitos colaterais incluem: nervosismo, tremores, diarreia, olhos esbugalhados, taquicardia, pressão alta e até mesmo insuficiência cardíaca.

Existem muitos riscos que têm sido associados com as pílulas para emagrecer e não vale a pena o risco de perder a sua saúde ou a sua vida, para perder um pouco de peso; além disso, apenas causa perda de peso temporária, já que têm um efeito rebote, uma vez que se suspende o medicamento o aumento de peso é muito maior do que o que se tinha perdido.