Aumentam o risco de sofrer ataques cardíacos e derrames. Apenas nos Estados Unidos, cerca de 29 milhões de pessoas tomam habitualmente algum tipo de analgésico anti-inflamatório não esteroide (AINE) para aliviar desde dores musculares à artrite. Muitos milhões mais o fazem no resto do mundo. Mas a partir de agora, devem fazê-lo com mais cuidado. Os resultados de uma avaliação recente fizeram com que a advertência sobre os riscos por parte da Administração de Drogas e Alimentos (FDA) desse país seja muito mais severa.

Certamente você tem algum em seu kit. E talvez até mais do que um. Referimos-nos a um tipo de analgésico de uso comum, conhecidos como AINEs (anti-inflamatórios não esteroides) que são utilizados para combater tanto a dor como a inflamação. Esta dupla ação os torna particularmente eficazes para o alívio de lesões musculares e todos os casos de artrite, por isso que seu uso se torna ainda mais generalizado e contínuo.

A este grupo de medicamentos pertencem nomes tão familiares como:

De venda livre (sem receita):

  • Ibuprofeno.
  • Naproxeno.

Requerem receita médica:

Apesar de serem eficazes, como todo medicamento, têm seus efeitos indesejáveis. Na verdade, há mais de 15 anos atrás, os pesquisadores já sabiam que o consumo de AINEs em doses elevadas aumenta o risco de sofrer um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, o qual já está indicado nos rótulos desses medicamentos. No entanto, à luz das novas pesquisas realizadas por um painel de especialistas, a Administração de Drogas e Alimentação (FDA) dos Estados Unidos, decidiu reforçar muito mais a atenção aos consumidores. Segundo a agência, a evidência do risco é “definitiva”, o que se refletirá em um futuro próximo nos rótulos e embalagens destes analgésicos. Cabe destacar que a aspirina também pertence aos AINEs, mas não tem esse tipo de risco.

Advertência da FDA Sobre os Analgésicos do Tipo AINE

As Advertências da Administração de Drogas e Alimentos (FDA):

As pessoas que tomam AINEs (anti-inflamatórios não esteroides), seja para aliviar dores de cabeça, musculares ou de artrite devem ter em conta as advertências da FDA e que são:

  • Embora o risco de sofrer um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC) ou apoplexia aumenta quanto mais se prolonga o uso de AINE, estes podem ocorrer inclusive durante as primeiras semanas de tratamento.
  • O risco aumenta com doses mais elevadas tomadas durante longos períodos de tempo.
  • Os AINEs aumentam o risco de um ataque cardíaco ou de um acidente vascular cerebral em pessoas com ou sem doença cardíaca, embora o risco seja muito maior para aqueles que já têm essa condição.
  • Anteriormente, acreditava-se que o naproxeno tinha menos risco do que outros AINEs, mas a evidência atual não é suficiente conclusiva para determinar que um medicamento AINE seja mais ou menos seguro do que outro.

Isso significa que você deve parar de tomar este tipo de medicamento? Não necessariamente, apenas tenha mais precaução. Estas são algumas das medidas que você pode tomar:

  • Não tome mais de um tipo de AINE, ao mesmo tempo, já que como mencionamos, existe risco com todos eles (com exceção da aspirina).
  • Tome a dose mais baixa possível e limite, se possível, o tempo de utilização do medicamento.
  • Consulte o seu médico se existem alternativas, como o uso de paracetamol, que ajuda a aliviar a dor, sem aumentar o risco de um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral. Mas cuidado: para evitar causar danos ao fígado, não deve exceder a dose diária máxima de 4.000 mg. Se você bebe mais de três bebidas alcoólicas por dia, tampouco é uma boa escolha.
  • Se você precisa de um tratamento prolongado a base de AINEs, experimente fazer intervalos de uma semana do medicamento, substituindo-o por acetaminofen (novamente, se for seguro tomar)
    • Em conclusão, o mais importante é a precaução. Se você tem fatores de risco de doença cardíaca ou já sofre, e precisa tomar um analgésico do tipo AINE, deve realizar mudanças em seu estilo de vida para combater os riscos: melhore sua dieta e faça mais exercícios. Se você reduzir o seu peso, não apenas funcionará melhor o seu coração, mas também aliviará a artrite. E lembre-se sempre: não tenha medo de perguntar ao seu médico. Em caso de dúvida, consulte o quanto antes o seu profissional de saúde.