Hoje, vamos falar sobre os perigos do diazepam para dormir e daremos alternativas muito menos perigosas. Alternativas que irão melhorar a secreção de melatonina e favorecerão o seu descanso noturno.

E é que, apesar da sua fama, os perigos do diazepam são tão numerosos como arriscados para o organismo. Por este motivo, é aconselhável conhecer alternativas muito menos perigosas e, na maioria dos casos, mais eficazes. Além disso, aqueles que pretendem tomar diazepam, devem saber que terão que passar pelo médico de antemão, pois não é vendido ao público sem a prescrição pertinente.

O que é Diazepam?

Em primeiro lugar, vamos explicar o que é diazepam. Trata-se de um fármaco englobado na família dos benzodiazepínicos, daí o seu nome mais reconhecido. O diazepam deve ser administrado sempre com receita médica, o que dá uma pista de quão arriscado é o seu consumo de forma independente. O motivo não é outro senão a área sobre a qual atua: o sistema nervoso central.

Basicamente, ao perguntar o que é diazepam, encontramos que é um conglomerado de ansiolíticos, amnésicos, hipnóticos, anticonvulsivos, relaxantes musculares e sedativos. Uma bomba relógio que não te fará descansar, te deixará OFF durante horas. Nada a ver com o descanso.

Os Perigos do Diazepam para Dormir: Alternativas Menos Perigosas

Uma vez exposto o que é diazepam, também é bom saber que é comercializado em doses entre 2 até 15 mg. Além disso, o seu consumo está tão estendido, que já é oferecido em muitos formatos. Desde gotas a comprimidos, passando por tabletes. Obviamente, a administração dependerá do que é especificado pelo médico. No entanto, o limite estipulado pelo fabricante é de quatro doses por dia.

Uma vez que o médico tenha dado a luz verde, é preciso verificar se o organismo está preparado para receber diazepam. E é que, os afetados pela apneia do sono ou pessoas que não conseguem dormir bem por problemas respiratórios, não podem tomar diazepam como alternativa para a insônia.

Leia também: “Saiba mais Sobre os Medicamentos Ansiolíticos“.

A realidade sobre o que é Diazepam, pode ser comprovada com os casos em que existe insônia e se cumprem as seguintes condições.

• Se começamos o tratamento, melhor alternar os dias em que o tomamos e os em que não.

• O tratamento não deve ultrapassar um mês. O motivo? O grande vício que gera no paciente.

• O diazepam é como um remendo: oferece soluções momentâneas, para problemas profundos. Tomando diazepam, vamos dormir bem nessa noite, na seguinte e na outra, mas o objetivo deve ser eliminar completamente a insônia e voltar a dormir normalmente.

• Embora o diazepam induza um sono longo e aparentemente profundo, a realidade é que resulta do mais leve. Ou seja, não é um descanso de qualidade e fará com que você desperte como se tivesse dormido uma pequena hora.

Efeitos Colaterais do Diazepam

Os efeitos colaterais do diazepam são numerosos e preocupantes como poucos. A razão não é outra senão a multidão de aplicações que tem o medicamento. Os efeitos colaterais do diazepam são marcados por suas propriedades para tratar a ansiedade, os ataques epilépticos ou a abstinência alcoólica. Três problemas graves que exigem medicação forte que, neste caso, é o próprio diazepam.

Obviamente, e embora pareça algo lógico, as mulheres grávidas e aquelas que estão amamentando, tem absolutamente proibido o consumo de diazepam. E é que os efeitos colaterais do diazepam podem ser tremendos.

• Para começar, o diazepam contém elementos que geram um preocupante vício no paciente. Por este motivo, o tratamento não costuma ultrapassar um mês.

• Obviamente, se você não dorme à noite, não rende durante o dia. Você estará como no modo automático e as baterias no mínimo, o que pode levar a quedas, acidentes ou tropeços. Sem mencionar que é proibido dirigir sob a influência do diazepam, devido ao risco que envolve.

• Outro dos efeitos colaterais do diazepam é que pode derivar em uma gastroenterite, acompanhada de dor intensa e constante de estômago.

• Devido à composição e a falta de sono, quem toma diazepam pode sofrer tonturas. E é que o estado de fraqueza geral é preocupante.

• Outros efeitos colaterais que podem ocorrer com diazepam, menos comuns, mas igualmente sérios, exigem ir imediatamente ao hospital mais próximo. Portanto, se houver febre, complicações respiratórias, manchas na pele, palpitações ou crises nervosas com convulsões, nem pense nisso, vá direto para a sala de emergência.

Alternativas Menos Perigosas ao Diazepam

Diante do leque de situações ruins, nada melhor do que buscar alternativas menos perigosas ao diazepam. Sejam elementos naturais, sejam medicamentos muito menos poderosos do que o diazepam, pelo menos você deve saber que existem alternativas menos perigosas.

Horário Marcado

É fundamental estabelecer algumas rotinas e esquemas diários para que o corpo se acostume. As rotinas devem se coroar com ir para a cama em um horário prudente e com margem para dormir, no mínimo, oito horas.

Ambiente de Sono

Se você prepara um horário de sono, mas resulta que em seu quarto há apenas elementos que te distraem, será mais complicado adormercer. Ajuste o ambiente em que você vai descansar, ao próprio descanso. Cores relaxantes, pouca luz, música tranquila e o maior silêncio possível serão os melhores aliados para que você durma mais de uma hora seguida.

Dieta Saudável

Uma das premissas mais relevantes é a de comer de forma equilibrada. Uma digestão longa e pesada não te ajudará a dormir. Especialmente à noite, é essencial que você coma de forma adequada. Para isso, nada melhor do que ir a um endocrinologista e que ele te recomende a dieta que melhor se adapta às suas circunstâncias.

Exercício Regular

O esporte e fazer exercício de forma regular, não apenas te ajuda a eliminar toxinas, mas te cansa. Ou seja, quando chegar a hora de dormir, você terá que repor a energia, o que facilitará adormecer.