O Que São os Bifosfonatos?

Os bifosfonatos são um grupo de medicamentos utilizados para a prevenção e o tratamento das doenças com reabsorção óssea, como a osteoporose. Os bifosfonatos são utilizados em outras doenças, como:

  • Câncer com metástases ósseas, seja este com ou sem hipercalcemia, associada ao câncer de mama e de próstata.
  • Doença de Paget.
  • Doença renal crônica tratada com diálise onde existe fragilidade óssea.

Os bifosfonatos, especialmente o alendronato e o risedronato, são os únicos agentes não hormonais que tem demonstrado reduzir as fraturas vertebrais e as periféricas.

Os bifosfonatos reduzem a renovação óssea diminuindo o número de lugares de remodelação ativos onde tem lugar a reabsorção óssea.

Leia também: “Remédios Caseiros Para Osteoporose“.

Como Funcionam os Bifosfonatos?

Os ossos experimentam um processo contínuo de remodelação, em forma de reabsorção óssea (desintegração) e formação óssea. A perda óssea relacionada com a osteoporose se produz quando a reabsorção é maior do que a formação.

Os bifosfonatos reduzem a reabsorção óssea, diminuindo assim o ritmo da perda óssea. Durante o tratamento, os bifosfonatos se convertem em parte do osso recentemente formado e podem permanecer ali durante anos, através de muitos ciclos de reabsorção e formação. Os pacientes continuam expostos aos efeitos do medicamento, inclusive muito depois de ter deixado de tomá-lo.

O Que São os Bifosfonatos e Como Funcionam na Osteoporose?

De acordo com Whitaker, os estudos que a FDA considerou foi focado em pacientes que haviam utilizado bisfosfonatos durante, pelo menos, três anos até um máximo de 10 anos. Estes examinaram os resultados relacionados tanto com a densidade mineral óssea como com as fraturas ósseas.

“Os bifosfonatos têm demonstrado serem muito eficazes para proteger o paciente das fraturas ósseas em ensaios clínicos de três a quatro anos”, diz Whitaker. Mas ainda se desconhece se o benefício dura mais tempo do que isso na redução do risco de fraturas.

As indicações dos bifosfonatos têm levado uma advertência de segurança a respeito da deterioração grave dos ossos da mandíbula (osteonecrose de mandíbula) desde 2002. Em outubro de 2010, a FDA advertiu os pacientes e os profissionais de saúde sobre o aumento do risco de fraturas pouco comuns no fêmur e orientou os fabricantes a incluírem a advertência nas indicações de segurança e nas guias dos medicamentos que vêm com os medicamentos de venda sob prescrição.

A FDA continua avaliando a possível associação dos bifosfonatos com o câncer de esôfago. Estas associações sugerem que é possível que os médicos desejem reconsiderar durante quanto tempo os pacientes devem continuar tomando os medicamentos.

Leia também: “10 Exercícios Para a Osteoporose“.

Até Quando É Indicado Tomar Bifosfonatos?

As decisões sobre a continuação do tratamento devem ser baseadas nas avaliações individuais dos riscos e dos benefícios e na preferência do paciente, diz Whitaker.

Se você está tomando bifosfonatos siga estas recomendações:

  • Converse com seu médico sobre se deve continuar ou não com esta terapia.
  • Reavalie a decisão de forma periódica com o seu médico.
  • Não deixe de tomar estes (ou qualquer outro) medicamento prescrito sem consultar antes o seu médico.
  • Se você tomar a decisão de descontinuar o seu uso, converse com o seu médico antes de interromper a terapia.
  • Informe o seu médico se desenvolver uma nova dor de quadris ou coxas (normalmente descrita como uma dor pulsante e intensa) ou se você tiver alguma preocupação sobre seus medicamentos.
  • Informe os efeitos secundários pouco comuns da medicação com bifosfonatos ao seu médico.

Embora os bifosfonatos sejam muito eficazes, nos últimos anos tem sido constatado um aumento no número de casos clínicos nos quais o uso de bifosfonatos está relacionado com a osteonecrose dos maxilares; por isso, o dentista deve estar muito alerta sobre as possíveis complicações nos pacientes que consomem.