Mais da metade das pessoas que têm problemas para dormir se automedicam. A insônia não é apenas a incapacidade para dormir, mas também para permanecer dormindo. A pessoa pode sofrer frequentes despertares durante a noite ou acordar muito cedo, por isso é difícil funcionar durante o dia.

Pode ser causada pelo estresse no trabalho, uma doença e por mal-estar físico ou emocional. As pessoas que sofrem, e se automedicam sem procurar o conselho de um médico, podem estar se colocando em grave perigo.

Os Perigos de se Automedicar para a Insônia

Mais de 30% das pessoas que sofrem de insônia usam algum tipo de remédio para dormir sem consultar previamente o seu médico. O uso de remédios para dormir pode ser eficaz como tratamento de curto prazo da insônia leve, mas não deve ser tomado durante longos períodos sem uma prescrição médica, já que podem ocultar um problema de saúde grave que poderia piorar se permanece sem tratamento.

Leia também: "A Dependência de Medicamentos Controlados".

Apenas 20% dos casos de insônia que tem uma duração de mais de um mês, não estão vinculados a nenhuma outra condição de saúde. Embora a grande maioria dos casos de insônia de longo prazo estejam relacionados com a saúde física ou mental, como doenças cardíacas, depressão, asma ou ansiedade.

A automedicação com fármacos para favorecer o sono envolve um grave risco para a saúde, já que existem dois riscos claros:

  • A tolerância. A ingestão deste tipo de substâncias sem supervisão médica pode fazer com que, depois de certo tempo, o organismo se acostume com o fármaco, acabe criando uma tolerância, e assim perde a sua eficácia inicial.
  • A dependência. Quando o fármaco perde sua eficácia inicial, o paciente costuma aumentar as doses para conseguir os efeitos desejados e pode chegar a situações de dependência.