Os seres vivos têm um relógio interno que marca o ritmo diário, o que nos torna conscientes da passagem de períodos mais longos de tempo. Essas mudanças climáticas, são mediadas por níveis de melatonina, um hormônio que é evolutivamente muito antigo, que produz muitos tecidos do corpo, incluindo a glândula pineal, o trato gastrointestinal e a retina.

Neste artigo vamos discutir os usos que pode ter a melatonina.

Usos Terapêuticos da Melatonina

As utilizações terapêuticas de melatonina são baseadas nos efeitos deste hormônio em estruturas do cérebro que controlam o sincronismo dos ritmos biológicos, equilibram o sistema endócrino e normalizam o sistema imunitário.

Falamos do sistema imuno-neuroendócrino, considerando-o como a rede fundamental para manutenção da saúde. Entre os principais “atores” do sistema, encontramos os hormônios, incluindo a melatonina que tem uma popularidade importante.

Devido a sua importante função moduladora de diferentes ações fisiológicas, pode ser útil para o tratamento de numerosos transtornos. A alta eficiência e falta de toxicidade, fazem com que a melatonina tenha um interesse considerável na prática clínica atual.

Um dos grandes problemas de sono é o uso de novas tecnologias, e tantas outras coisas e por isso a melatonina pode ser usada por:

Melatonina: Uso da Melatonina

Jet Lag

Uma única dose de 5 mg de melatonina de liberação rápida, sempre tomada antes de dormir durante os 4 dias depois de um voo transatlântico ou internacional, melhora significativamente a qualidade do sono, encurta a latência do mesmo, e reduz a sonolência diurna e fadiga.

Distúrbios por mudança de horário

A administração de melatonina pela manhã move os ritmos circadianos para mais tarde, e a utilização dessa a noite, antes de mudar de ritmos é bem eficaz.

Um exemplo: a administração de 5 mg durante seis dias de melatonina para a polícia, antes de dormir de dia, produz um aumento da qualidade e duração do sono, por isso produz um maior estado de alerta durante as horas de trabalho.

Insônia

A produção de melatonina diminui com a idade. No entanto, no caso da insônia com início em crianças de 6 – 12 anos de idade, a melatonina é eficaz em uma dose de 0,05 mg de 1 ou 2 horas bem antes de deitar.

Antioxidante

A melatonina é considerada um poderoso antioxidante, e é muitas vezes considerado como um “caminhão” de radicais livres.
Por exemplo: administrada a pacientes que sofrem de esteatohepatite não alcoólica, uma dose de 10 mg de melatonina por dia, durante três meses, divididas em duas doses diárias, melhora significativamente as enzimas hepáticas no plasma, sem causar um efeito colateral secundário.

Sistema Imune

A produção de melatonina está sendo estudada no contexto de transplantes de órgãos, imunossupressão, infecções e formação de tumores malignos.

As bases clínicas da melatonina podem ser muito promissoras. No sistema cardiovascular, parece regular o passo das artérias cerebrais. Apesar de estar sendo estudada, se a melatonina desenvolve a enxaqueca. Há evidências de que tem efeito direto sobre os órgãos reprodutores de vertebrados, uma vez que envolve diretamente a reprodução de animais, e desenvolvimento em humanos. Já que penetra a barreira hemato-encefálica e, devido ao seu efeito neuroprotetor pode ser útil em casos de Parkinson, doença de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas.