Na corrida para conseguir músculos mais fortes e mais volumosos, normalmente costumamos recorrer a diferentes rotinas ou técnicas de treinamento que nos ajudem a mudar e evitar que os músculos acabem se acostumando com os exercícios de sempre. Mas o que geralmente não costumamos reparar é nas séries negativas, e a chave para um maior crescimento pode estar ai.

Sempre costumamos nos concentrar nas séries positivas. Esse momento no qual os músculos devem vencer a resistência da carga para poder elevá-la. É verdade que aqui se trabalham as fibras, mas nas fases negativas também se consegue um grande trabalho que não podemos ignorar.

O que é a fase negativa?

Antes de tudo, é necessário levarmos em conta o que é a fase negativa dos exercícios. É o momento no qual depois de levantar a carga voltamos, sempre mantendo a carga, a posição inicial com a qual começamos o exercício. Geralmente esta parte do exercício é rápida e apenas voltamos à origem, sem afetar os músculos.

Série Negativa: Uma Forma Diferente de Trabalhar os Músculos

Nesta fase negativa podemos colocar mais atenção e, assim, conseguir uma maior incidência nos músculos. A maneira de fazê-lo será nos concentrarmos na descida e realizá-lo de maneira lenta e controlada, de modo que os músculos continuem suportando a carga que estamos levantando.

Este controle da carga na fase negativa o que faz é que os músculos atuem como um freio, ou seja, que se mantenham sob tensão ao longo de toda a descida. Por esta razão, os resultados são tão bons, melhorando muito o crescimento das fibras.

Algumas Precauções:

Mas nem tudo são benefícios com este tipo de treinamento, mas devemos ter em mente que não se trata de um movimento habitual. Para isto é preciso acrescentar que a tensão que vamos exercer sobre os músculos será maior, com isso o risco de lesão é maior do que com os exercícios normais.

Este maior risco de lesão é o que nos torna muito consciente de que o exercício em fase negativa deve ser controlado e realizado por pessoas que já tenham uma base prévia e controlem perfeitamente os diferentes exercícios. Para isto é preciso acrescentar que não podemos realizar muitas séries negativas, já que a carga excessiva pode ser muito elevada, afetando as fibras. Realizar quatro ou cinco repetições em cada série será mais do que suficiente.