Ao cálcio podemos agradecer por um esqueleto (é o mineral encarregado pela formação e manutenção de ossos) e dentes fortes; é nestes dois aspectos nos quais o corpo gasta 99% das suas reservas de cálcio. Mas é também essencial para a contração muscular, coagulação sanguínea, o ritmo cardíaco e a liberação eficaz de neurotransmissores. Aprenda onde encontrá-lo, algumas precauções e muito mais sobre o cálcio.

Onde se Encontra o Cálcio

O cálcio é obtido principalmente dos alimentos. Como você pode imaginar, é nos produtos lácteos, onde se encontra em maior quantidade, e a fonte de cálcio que melhor se absorve. Leite, iogurte, queijo e manteiga são monumentos de cálcio. Além disso, se isso não bastasse, o leite é enriquecido com vitamina D.

Claro, se encontra em abundância em alguns vegetais como brócolis, repolho, couve chinesa, folhas de nabo e as de mostarda; no salmão e sardinha, especialmente enlatados, com ossos; em amêndoas, sementes de girassol, tahine e feijões.

Além disso, para aqueles que têm intolerância ou não gostam dos lácteos, ou que seguem uma dieta vegetariana, existem muitos produtos que são enriquecidos com cálcio: suco de laranja, leite de soja, tofu, alguns cereais e pães, mas existem várias fontes alternativas com elevado teor de cálcio.

O Que Você Deve Saber Sobre O Cálcio

Obviamente existem, suplementos vitamínicos com minerais que incluem o cálcio e outros de apenas cálcio.

Leia também: “Alimentos Ricos em Cálcio”.

Para Que Serve o cálcio?

É essencial para ter ossos e dentes fortes. Quando existe deficiência de cálcio – seja por uma condição genética ou por um baixo consumo – pode haver problemas. Quase literalmente, podemos fraturar (romper ou quebrar) um ou mais ossos. É possível desenvolver osteoporose, uma doença óssea muito comum, que significa que seus ossos se tornaram frágeis e podem quebrar com a menor provocação.

É etapa final de um longo processo de, digamos, créditos de cálcio concedidos ao corpo, ou seja, quando você não consome cálcio suficiente, o organismo começa a emprestar o cálcio dos ossos até que um dia, “crack”… Não existe mais cálcio. A hipocalcemia (baixo teor de cálcio no sangue) pode também ser causada por certas doenças como pancreatite aguda, hipoparatiroidismo, por exemplo.

  • Para as contrações musculares, incluindo a contração e relaxamento das artérias.
  • Para a secreção de hormônios e outros produtos químicos.
  • Para a liberação de neurotransmissores (substâncias que interagem e ativam as células) no cérebro.
  • Para manter o batimento cardíaco.
  • Para a coagulação do sangue.

Leia também: “A Importância Do Cálcio Para Os Ossos“.

O Que a Ciência Diz Sobre o Cálcio?

A ciência confirma a eficácia da suplementação de cálcio para o tratamento de redução da densidade óssea (ou seja, no tratamento da osteoporose). Também são eficazes em casos de hipocalcemia (quando o cálcio é baixo no sangue. Em hipocalcemia severa pode haver tetania hipocalcémica que também melhora com a administração de cálcio).

A evidência científica confirma que a administração de cálcio ou acetato de cálcio é eficaz no tratamento de diálise peritoneal nos pacientes com insuficiência renal. E em pacientes com hiperfosfatemia (fósforo elevado no sangue), muitos deles também com insuficiência renal e em diálise, a administração dos mesmos compostos de cálcio podem ajudar a reduzir a mortalidade por doenças cardiovasculares.

O cálcio por via intravenosa, também é usado em casos de hipermagnasemia (que se refere a um excesso de magnésio no sangue). E o uso é igualmente sólido quanto à eficácia do cálcio, mas por via oral (tomado) nos casos de indigestão por acidez.

Por outro lado, os resultados dos estudos para a utilização do cálcio em convulsões, síndrome pré-menstrual, a prevenção de fraturas e para reduzir a pressão sanguínea são mistos e, embora possa ajudar, são necessários mais estudos para confirmar sua eficácia nestas condições.

A evidência quanto ao cálcio para o tratamento de arritmias, prevenção de câncer de mama, síndrome metabólica, câncer de endométrio, câncer de próstata, depressão pós-parto, prevenção de quedas e mortalidade não são claros e antes de fazer recomendações a respeito, será necessário ter mais investigações de qualidade.

Finalmente, a evidência indica que o cálcio não aumenta a sobrevivência durante uma parada cardíaca e poderia piorar as chances de ressuscitação.

Precauções e Interações do Cálcio

É preciso ter cuidado com as interações entre o cálcio e alguns medicamentos, como ceftriaxona, alguns antibióticos, digoxina, levotiroxina, lítio, sotalol e verapamil, entre outros vários medicamentos. Claro, o médico é quem deve aconselhar sobre estas combinações e se você deve tomar suplementos de cálcio em primeiro lugar.

Alimentos vs. Cálcio:

Assim como os alimentos são a principal fonte de cálcio, existem alguns que podem diminuir sua absorção ou ajuda sua eliminação. Por exemplo, o excesso de cafeína (300 mg, ou cerca de quatro xícaras de café) reduz sua absorção e está associado com a fragilidade dos ossos.

Algumas formas de fibra dietética, como farelo de trigo, espinafre ou ruibarbo também podem diminuir a absorção de cálcio, por isso não é recomendado consumi-las junto com suplementos. E vice-versa: o consumo de cálcio pode interferir com a absorção de magnésio e de ferro. Além disso, você adivinhou: existem nutrientes que aumentam a quantidade de cálcio que o corpo absorve, o que tampouco é muito conveniente: os pró-bióticos, por exemplo. Que complicado! Como tudo na vida… O melhor é ter um equilíbrio, mas às vezes é necessário ter a informação correta.

Na verdade, o excesso de cálcio (ou hipercalcemia) tampouco é uma boa notícia. Pode ser causadas por hiperparatiroidismo (por exemplo, por um crescimento anormal das glândulas paratireoides, que é a causa mais comum de hipercalcemia), hipertiroidismo, algumas condições genéticas, estar acamado, insuficiência renal, consumir grandes quantidades de vitamina D e, claro, consumir suplementos de cálcio em excesso (mais de 2.000 mg por dia, cuidado com a quantidade de suplementos!). A hipercalcemia pode causar constipação, náuseas, vômitos, dor abdominal, sede excessiva, micção frequente, fraqueza muscular, apatia, depressão, irritabilidade, confusão, dor óssea, diminuição da estaura! Ugh!

É por isso que, não se podem dizer suficientes vezes, é muito importante que antes de começar a tomar algum suplemento de cálcio ou fazer uma mudança drástica em sua dieta você procure um médico para encontrar a melhor maneira de satisfazer às necessidades do seu organismo.