O ambiente é a causa direta de mais de três milhões de mortes de crianças a cada ano.

Na verdade, os fatores ambientais influenciam cerca de 82 das 102 categorias de doenças e lesões constantes do relatório sobre a saúde no mundo segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

A situação, portanto, não deixa margem para dúvidas. Embora seja verdade que, quando falamos de doenças e agravos relacionados ao meio ambiente, não estamos falando do mesmo tipo de doença que ataca o mundo em contraste os países em desenvolvimento, e em menos escala os países desenvolvidos. Nos países pobres, os problemas ambientais estão relacionados com a falta de necessidades básicas, tais como o acesso a água potável, a canalização de recursos ou o tipo de combustível utilizado dentro das casas.

Nos países desenvolvidos, no entanto, estamos diante de uma situação crescente de desamparo em que se refere à saúde das crianças: é suficiente levar em conta o fato objetivo que implica que, nos últimos 20 anos, triplicou o número de mortes por problemas respiratórios e que o número de crianças asmáticas chega a envolver em média 10% da população infantil. A poluição do ar, responsável pela administração pública local, é uma causa importante, sem dúvida.

A Poluição do Ar Afeta a Saúde Infantil

O homem interage com o seu ambiente, mesmo antes do nascimento, e o seu relacionamento permite progredir e desenvolver-se como indivíduo e como um ser social, mas também o obriga a observar, mudar hábitos e comportamentos adaptando-se a esse novo habitat que ele mesmo tem modificado. É nesse contexto onde não há espaço para a ação preventiva por parte das famílias em relação à saúde dos seus filhos, a qual as doenças respiratórias mais atacam. Agora, quando chega à primavera e, com o clima seco que estamos vivenciando, as grandes cidades estão cheias de crianças com máscaras, pois os pais tentam assim diminuir o contato das crianças com o ar contaminado e poluído dos grandes centros.

E tudo isso sem entrar em questões graves, como a poluição da água que é possível ser vista, em várias notícias que saltam a mídia e provocam reação furiosa das populações acometidas. Claramente, o mais afetado pela deterioração do meio ambiente é justamente o homem, e o efeito bumerangue reflete sobre a saúde e principalmente naqueles que mais importam: os nossos filhos.

Reflita sobre suas ações ambientais, pensando não somente no momento presente, mas no que você pode fazer que trará benefícios para os seus filhos futuramente. As doenças respiratórias podem se tornar crônicas, e uma criança com problemas respiratórios pode desenvolver uma série de sequelas incuráveis.