Todos nós sabemos que os alimentos orgânicos são muito superiores aos seus homólogos não orgânicos, no entanto, novas investigações tem demonstrado que inclusive são muito melhores do que pensávamos.

Os alimentos orgânicos têm nutrientes que carecem os alimentos convencionais, por isso resultam muito mais nutritivos em menores porções do que estes. Mas vejamos com mais detalhes do que estamos falando.

Os alimentos orgânicos têm mais ácidos graxos ômega-3.

Existe um tipo de composto que é essencial para a vida, são os ácidos graxos ômega-3. Não apenas o organismo requer de doses diárias de ácidos graxos ômega-3 para funcionar corretamente, mas também estes se encontram vinculados a uma menor pressão arterial, melhor funcionamento e desenvolvimento neurológico, um sistema imunológico forte, redução do risco de doenças cardíacas, depressão e Alzheimer.

Recentes estudos, publicados no British Journal of Nutrition descobriram que as carnes e produtos lácteos orgânicos, possuem o dobro da quantidade de ômega-3 que os seus homólogos não orgânicos. Os pesquisadores descobriram que os produtos lácteos orgânicos têm cerca de 56% mais de ômega-3, e as carnes orgânicas têm 47% a mais.

Os alimentos orgânicos têm mais antioxidantes.

Os antioxidantes, compostos que se encontram principalmente em frutas e verduras, são responsáveis pela boa saúde e prevenção de diversas doenças.

Um estudo preliminar ao citado anteriormente, também publicado no British Journal of Nutrition, descobriu que os cultivos orgânicos e os alimentos elaborados com ingredientes provenientes destes cultivos, têm até 60% mais antioxidantes do que os convencionais.

Os alimentos orgânicos possuem menos compostos nocivos.

Enquanto nenhum alimento está livre de compostos nocivos, sim varia à proporção que contém. Os investigadores determinaram que os cultivos orgânicos contêm menos níveis de cádmio, um metal natural, mas tóxico, que em grandes quantidades pode gerar uma ampla variedade de problemas de saúde.

Os alimentos convencionais também possuem outros compostos que resultam prejudiciais para o organismo, já que em sua aprovação antes de sair para o mercado, não passam pelas mesmas restrições que os alimentos orgânicos.

Para que um alimento ou produto seja considerado orgânico deve ser cultivado ou produzido sem o uso de: pesticidas, fertilizantes sintéticos, compostos transgênicos, lodo de esgoto, radiação ionizante, radiação, antibióticos ou hormônios de crescimento.

Infelizmente, estas regulações não se aplicam aos alimentos de consumo massivo, por isso, ao consumi-los, estamos ingerindo altas doses de compostos prejudiciais para a nossa saúde.

Para mais informações, não deixe de ler também "Os Alimentos Orgânicos São Melhores?"