A OMS tem alertado que as carnes processadas e salsichas são cancerígenas para as pessoas e esta afirmação desencadeou uma grande quantidade de perguntas já que implicaria, para seguir as recomendações ao pé da letra, uma mudança completa de dieta. Vamos ver qual informação foi dada na realidade e como devemos interpretá-la para ter uma dieta adequada, variável e segura.

Carnes Processadas e Câncer: Nutrientes Necessários:

A primeira coisa que devemos destacar é que existe uma grande quantidade de proteínas que apenas estão presentes neste tipo de carnes e carnes vermelhas, por isso é essencial ingerirmos estes alimentos, a fim de dar ao nosso organismo todos os nutrientes de que necessita. Então, se a carne tem outras proteínas que não podemos encontrar em outros alimentos, como nos dizem para não comê-la pelo risco de poder causar câncer?

A ideia principal que foi dada é que um consumo adequado desses alimentos não tem porque nos preocupar em excesso. Devemos considerar que, se comemos uma ou duas porções de carne vermelha e salsichas por semana, já estamos fornecendo os nutrientes que o nosso organismo necessita e reduzindo significativamente as possibilidades de desenvolver câncer. Recordamos que o estudo que foi publicado, disse que, para cada porção extra (mais de uma ou duas por semana), o risco de sofrer câncer aumenta em 18% em cada porção a mais.

Carnes Processadas e Câncer: Novos Estudos Revelam esta União

Leia também: “Leite e Carne Orgânicos são mais Saudáveis em Vários Aspectos“.

Uma Dieta Variável é o Melhor:

Neste sentido, defendemos uma dieta saudável como sempre fizemos e minimizar o consumo de carne vermelha e outros produtos que podem também ser prejudiciais para o organismo, embora não estejam, por enquanto, em estudos da OMS. Neste sentido, muitos profissionais de saúde já tem se mostrado parcialmente de acordo com o estudo e continuam pedindo como sempre para que as pessoas para comam muito mais porções de verduras e frutas, as quais são também as mais importantes na prevenção do câncer, assim como legumes, carnes brancas e peixes.

Neste sentido, então, podemos dizer que mais uma vez ganha à ideia de uma dieta baseada em frutas e verduras e em menor quantidade a carne. De qualquer forma, como dissemos, esta tem sido a dieta que é sempre recomendada e que acreditamos que continuará sendo, apesar das informações da OMS, a qual não contradiz as bases da dieta saudável, variada e equilibrada.

De qualquer forma, devemos seguir essa informação, pois é muito recente e muitos profissionais de diferentes áreas da saúde estão estudando os estudos que têm sido feitos e seus resultados e esperamos que se pronunciem nos próximos dias. Estes especialistas em nutrição e medicina nos indicarão como devemos interpretar os resultados dos estudos (sem necessidade de criar um alarme social como aconteceu no primeiro momento) e quais são as quantidades que devemos ou podemos ingerir para ter uma dieta saudável e livre de riscos.

Por último, gostaríamos de conhecer sua opinião sobre o que você pensa desta notícia e em que medida considera que vai mudar sua alimentação por ela.