O consumo de cogumelos em animais experimentais com diabetes do tipo I, que não produzem insulina, produz um efeito sobre o desenvolvimento da diabetes e reduz os sintomas associados a esta doença, tais como a fome, a sede e a perda de peso.

De acordo com pesquisas recentes os alimentos com baixo índice glicêmico são os mais recomendados para pessoas com diabetes, pois representam um menor aumento de glicose no sangue. O índice glicêmico do cogumelo é tão baixo que quase não pode ser medido e, para a obtenção da medida, uma pessoa deve comer 1,2 quilos de cogumelos em menos de dez minutos, sem contar o potencial de fungos na dieta diabética.

Uma dieta com baixo índice glicêmico está associada com um risco menor de diabetes de tipo 2, que é a forma mais comum de diabetes, porque tem níveis elevados de glicose no sangue. Também está associada a um menor risco de doença cardíaca, câncer de mama ou a combinação dessas doenças.

Leia também: “Diabetes Tipo 1 e Tipo 2, Diferenças, O que é, Como Evitar e Prevenir Diabetes“.

Os cogumelos são um alimento muito baixo em calorias, com apenas 26-35 calorias, dependendo da espécie e um dos fungos com a ingestão de menos calorias é o cogumelo. A baixa ingestão calórica e baixo índice glicêmico pelo alto teor de água e teor de fibras aumentam consideravelmente sendo um dos alimentos mais interessantes para os diabéticos em muitos aspectos. Cogumelos contêm uma variedade de hidratos de carbono e os cogumelos brancos e marrons contêm 4,5% a 4,6% do peso fresco de carboidratos totais. O cogumelo contém 60% de carboidratos, embora existam algumas espécies, como o “Pleurotus”, que pode chegar a 81,8%.

O Cogumelo, Possível Arma Contra o Diabetes

Fibra Benéfica

Alguns estudos científicos salientaram que também tem sido demonstrado que a fibra dietética é benéfica no tratamento do diabetes, porque diminui a velocidade de absorção dos hidratos de carbono dos alimentos ingeridos, para evitar a elevação brusca do nível de glicose no sangue depois de comer. Lembre-se que o diabetes é uma doença metabólica caracterizada por um aumento nos níveis de glicose no sangue, que pode ser porque o pâncreas não produz insulina ou o corpo não usa adequadamente a insulina que recebe.

Esta doença afeta diferentes órgãos e tecidos, ao longo da vida e afeta o metabolismo de carboidratos, lipídios e proteínas. É uma doença que também pode causar várias complicações que afetam os olhos, rins, nervos e vasos sanguíneos. Ele afirmou que, embora os fatores hereditários influenciem frequentemente, medicamentos, exercício e dieta são três pilares no tratamento e controle da doença.