Consumir maconha diariamente é algo que muitos adolescentes tomam de ânimo leve. Mas uma pesquisa recente revela que não apenas pode afetar sua saúde mental (depressão, tendência ao suicídio), mas sobre a diminuição nas probabilidades de que completem os seus estudos do ensino médio e obtenham um diploma universitário. Continue lendo sobre este estudo publicado na revista especializada “Lancet Psychiatry”.

Sem dúvida nenhuma, a maconha é popular entre os jovens. Embora tenham sido advertidos sobre os possíveis efeitos do consumo em longo prazo, tanto na saúde física como mental e emocional, um novo estudo realizado na Austrália, também indica que o uso frequente de maconha pode afetar seu desempenho acadêmico e torná-los propensos a depressão e dependência na idade adulta.

De acordo com o estudo publicado na revista Lancet Psychiatry, os jovens que usam maconha diariamente antes de completar os 17 anos são mais propensos a ter problemas de saúde e acadêmicos de longo prazo do que aqueles que não usam. Especificamente, os adolescentes que usam maconha diariamente:

  • São 60% menos propensos de obter um diploma de ensino médio ou um diploma universitário.
  • Têm um risco oito vezes maior de continuar usando drogas ilegais na idade dos vinte.
    O Consumo Diário de Maconha e Seus Efeitos Negativos Sobre Adolescentes
  • Têm sete vezes mais probabilidades de tentar se suicidar na idade adulta.
  • Têm dezoito vezes mais probabilidades de desenvolver uma dependência de maconha após a adolescência.

O estudo constatou que, apesar dos efeitos negativos serem mais visíveis nos jovens que consomem maconha diariamente, também se apresentou em adolescentes que a usavam com menor frequência, inclusive quando a frequência era considerada “baixa”, ou seja, de uma vez por mês.

No entanto, esta pesquisa feita por especialistas australianos da University of New South Wales e Centro de Investigação Nacional de Álcool e Drogas em Sydney, chama a atenção porque encontrou uma associação frequente entre os resultados negativos em termos de saúde mental (propensão à depressão, suicídio, vício) e o desempenho acadêmico, com a frequência do consumo de maconha.

Este estudo reforça o que já foi apresentado por várias pesquisas anteriores, que têm demonstrado o efeito negativo do consumo crônico de maconha sobre a aprendizagem e a memória, em longo prazo, especialmente quando o uso dessa substância começa na fase da adolescência. Além disso, concluiu-se que o consumo frequente de cannabis afeta negativamente e em longo prazo a estrutura e função cerebral.

Uma investigação importante sobre o assunto mostrou que fumar grandes quantidades de maconha durante a adolescência poderia fazer você perder até 8 pontos do coeficiente intelectual dos usuários entre 13 e 38 anos de idade. É importante notar que, apesar de suspender o uso de maconha na idade adulta, a capacidade cognitiva não pode ser recuperada.

Por isso, é importante educar os adolescentes sobre os efeitos que têm o uso da maconha em longo prazo e buscar ajuda especializada antes que se converta em um problema maior.