Se um suplemento nutricional tem disparado os seus níveis de vendas nos últimos anos, é o elaborado a partir dos ácidos graxos ômega-3. Não se trata de uma ação de mercado, mas, na verdade, foi comprovado que os ácidos graxos ômega-3 participam em processos biológicos, como a regulação da fluidez do sangue, o nível de triglicéridos e colesterol no organismo, as respostas inflamatórias e imunológicas e outras funções metabólicas.

Ômega-3 Pode Inibir o Câncer:

As pesquisas e publicações científicas mais recentes demonstram que o ômega-3 poderia inibir o desenvolvimento de certos tipos de câncer, e também ter um significativo efeito sobre o tratamento de tumores e até mesmo na mitigação dos efeitos da quimioterapia com a qual se combate esta doença.

Mas, além das hipóteses a serem verificadas, está a certeza de que o consumo de ômega-3 reduz a hipertensão arterial, os níveis de triglicéridos no sangue e previnem doenças tão perigosas, como o infarto do miocárdio.

Ômega-3 Pode Inibir o Câncer

Estudos realizados têm aberto o caminho, mas ainda não são conclusivos sobre a participação deste grupo de ácidos graxos no desenvolvimento do cérebro do feto, assim como sobre seus benefícios para o tratamento da doença de Crohn, artrite reumatoide ou degeneração macular relacionada com a idade.

Precisamente, com base na capacidade anti-inflamatória do ômega-3, já é usado para tratar a síndrome pré-menstrual, como protetor cardiovascular e para reduzir a dor e a rigidez nas doenças articulares.

Para mais informações, não deixe de conferir o artigo “Carnes Processadas e Câncer: Novos Estudos Revelam Esta União“.