Muitas vezes falamos sobre os efeitos nocivos do tabaco para os pulmões e a garganta, mas negligenciamos o quão prejudicial esse hábito pode ser para a saúde da boca. Na verdade, é a principal causa de câncer de boca, uma doença que custa a vida de 5 milhões de pessoas por ano no mundo. Além dessa grave doença, o tabagismo pode causar outros efeitos negativos na boca, como problemas de gengiva, descoloração do esmalte ou mau hálito.

De tudo isso, recentemente falou o Dr. Francisco Rodriguez Lozano, presidente da Comissão Nacional de Prevenção do Tabagismo e conselheiro do Colégio de Estomatologia e Odontologia de Madrid (COEM), em uma conferência sobre tabagismo lecionada na Universidade Alfonso X.

Os Efeitos Negativos do Tabaco Sobre a Saúde Bucal

A Dra. Marisol Ucha, vice-presidente do COEM e professora de Odontologia da UAX, aponta o tabaco como "um dos elementos mais prejudiciais para a saúde da boca, seus efeitos vão se acumulando até provocar problemas que, em muitos casos, podem ser graves". Segundo explica, o câncer de boca ocorre, entre outras coisas, pela irritação repetida de substâncias tóxicas (e cancerígenas) que contém o tabaco. “Além disso, os problemas de perda óssea vão fazendo que, ao ter menos apoio, os dentes comecem a se movimentar e acabemos por perdê-los", assegura.

Leia também: "A Importância da Higiene Bucal".

O câncer oral, o quinto mais frequente em homens e o sétimo em mulheres, tem uma incidência cada vez maior em jovens e mulheres. A única solução para evitar essa doença é não fumar, já que em 75% dos casos ocorrem em fumantes, além de moderar o álcool, manter uma boa dieta e higiene oral, evitar a exposição excessiva ao sol, usar cremes protetores (para o caso de câncer de lábio) e ir ao dentista para uma revisão a cada 6 meses.

E, como observado anteriormente neste artigo, o tabagismo, além de provocar o câncer de boca é também a principal causa de problemas de gengiva, descoloração do esmalte, perda de suporte ósseo dos dentes, demora na cicatrização das feridas na boca, mau hálito, perda de implantes dentários, fracasso dos tratamentos periodontais e atrofia das papilas gustativas, causando a diminuição da capacidade de perceber os sabores.