Estão perfeitamente demonstradas sua ação antioxidante e sua atuação ajudando a retardar o envelhecimento celular, e tudo parece indicar que produz os mesmos resultados em organismos mais complexos, em particular no metabolismo humano.

A descrição dos efeitos positivos do selênio é relativamente moderna, mas há muito tempo sabia-se que a razão de ser de uma doença endêmica dos cavalos na província chinesa de Kessan, caracterizada por necrose miocárdica, coincidia com níveis muito baixos de selênio no sangue e no soro.

E, ao contrário, com o nome de doença alcalina se descreve uma condição nos cavalos – e também em outros animais – que consomem uma grande quantidade de selênio, procedente de algumas plantas classificadas como seleníferas, por sua faculdade de fixar o mineral, que cursa como uma intoxicação com ataxia, cegueira parcial, paralisia, perda de cabelo, deformação e desprendimento dos cascos.

As últimas pesquisas têm demonstrado que o selênio em quantidades adequadas é benéfico contra o envelhecimento precoce, a arteriosclerose e outros problemas cardiovasculares, doenças degenerativas, alguns tipos de câncer, infertilidade – especialmente a masculina -, prostatite crônica, desejo sexual, distúrbios imunológicos, envelhecimento do cabelo, acne, e assim por diante.

Selênio Para Retardar o Envelhecimento Celular

Graças ao seu elevado poder antioxidante, que é reforçado quando combinado com os níveis apropriados de vitamina E, previne e retarda o envelhecimento da membrana das células nervosas; é necessário para o desenvolvimento e crescimento, especialmente nas primeiras idades; protege o fígado, retardando a degeneração gordurosa; reforça o exercício dos músculos; adia o aparecimento de cataratas; favorece a eliminação de ureia e ácido úrico; intervém na composição de enzimas, que são essenciais para o funcionamento do sistema imunológico e na consequente criação de anticorpos, e tem propriedades muito positivas em algumas dermatoses, especialmente seborreicas.

Além disso, tem sido associado com a diminuição de malformações fetais e também dificulta a acumulação de certos metais pesados, como o mercúrio.

Atualmente, existem inúmeros programas de investigação a fim de obter um maior conhecimento dos efeitos do selênio sobre o organismo humano, em que atua substituindo o enxofre na formação de alguns aminoácidos (selenocisteína, selenocistina, selenometionina  etc.) que, quando estão presentes em uma unidade proteica recebem o nome de “seleno-proteínas” e formam parte de enzimas muito variada, como a tiólase, a glutationa peroxidase, a hidrolase do ácido nicotínico ou a glicina redutase, entre outras.

O selênio participa na cadeia alimentar através das plantas, que transformam o inorgânico em orgânico. Os cereais são os vegetais com maior capacidade para captá-lo, mas também se concentra no fígado, no leite e nos ovos, por isso é altamente recomendado o consumo desses produtos e seus derivados.

Leia também: “Selênio: Alimentos Ricos em Selênio”.

Em quantidades menores podemos encontrá-lo em frutos do mar, algumas frutas – nas quais o teor varia, dependendo especialmente da riqueza do solo de procedência – e inclusive diretamente do ar.

A absorção de selênio pelo organismo é mais fácil se apresentado na forma orgânica, por isso, uma das suas principais comercializações, como suplemento, é a selenometionina.

Os suplementos dietéticos que o contêm apenas são recomendados em dietas baixas em selênio, em pessoas que submetem suas células a processos de oxidativos altos ou em atletas profissionais e de alta competição, já que o seu fornecimento habitual é suficiente, exceto em situações especiais, caso em que terapeuticamente e sempre com a opinião médica, costumam serem administrados cinco microgramas por dia, formando parte de aminoácidos.