A arnica (Arnica montana) é um membro da família das compostas (Asteraceae). Esta atraente planta é originária das montanhas da Sibéria e da Europa Central, onde as folhas eram fumadas como substituto do tabaco. Esta prática é a origem do nome comum da erva: tabaco de montanha.

A arnica cresce a partir de um talo subterrâneo cilíndrico com um rizoma peludo. As folhas do primeiro ano são peludas e crescem formando uma roseta na base do caule.

No segundo ano aparece um caule redondo com pequenas folhas sésias que crescem formando de um a três pares opostos. Esta talo central pode ser dividido em três ou mais ramos, cada um com uma flor composta terminal.

As flores de arnica são aromáticas, parecidas com as margaridas, com 10 – 14 talos de cor amarelo brilhante, cada um com três entalhes na extremidade. A arnica floresce entre junho e agosto. As flores amassadas e aspiradas podem produzir espirros.

Leia também: “Tudo Que a Arnica Pode Fazer Pelo Seu Corpo“.

Para que Serve a Arnica?

As flores de arnica, frescas ou secas, são utilizadas para fins medicinais. Muitos herbalistas consideram a arnica como um remédio específico para contusões, entorses e dores musculares. Uma compressa embebida em uma infusão de arnica pode aliviar a inflamação da flebite.

Contraindicações da Arnica

Algumas gotas de tintura de arnica adicionadas a água quente em um banho de pés podem aliviar a fadiga e confortar os pés doloridos. Existe um produto para o couro cabeludo preparado com extrato de arnica que tem sido usado para tratar a alopecia neurótica, um transtorno de ansiedade que produz queda de cabelo.

O extrato de arnica tem sido usado para estimular a ação dos glóbulos brancos do sangue em estudos com animais e para produzir um aumento da resistência às infecções bacterianas.

Foi possível isolar lactonas sesquiterpenoides na arnica. Estes compostos possuem propriedades farmacológicas responsáveis pelos efeitos anti-inflamatórios e analgésicos da arnica. A arnica contém sesquiterpenoides, glicosídeos flavonoides, alcaloides, óleo volátil, taninos e álcool isomérico.

Em alguns países, a arnica é aprovada para uso externo como anti-inflamatório, analgésico e antisséptico. Existem mais de 100 preparações medicinais que utilizam extratos de arnica disponíveis comercialmente.

A arnica se apresenta em forma de linimentos e óleo de massagem para aplicação externa, assim como em preparações homeopáticas altamente diluídas que são consideradas seguras para uso oral.

Você deve escolher as flores completamente abertas durante a estação da floração, em um dia ensolarado depois da evaporação do orvalho da manhã. São espalhadas em uma bandeja coberta de papel para secar em uma sala iluminada e arejada, longe do sol direto. A temperatura da sala de secagem deve ser de pelo menos 20°C. Quando as flores estão completamente secas, são armazenadas em recipientes de vidro escuro fechados hermeticamente. A planta seca mantém sua potência medicinal durante 12 – 18 meses. É preciso etiquetar claramente o recipiente com o nome da planta, a data e o local de coleta.

Os corantes, se preparados adequadamente, podem manter sua potência medicinal durante dois anos ou mais.

Se você deseja elaborar a tintura, deve macerar 20 gramas de flores secas em 80 gramas de álcool a 90° (uma opção poderia ser um pouco de conhaque, gim ou vodka). O álcool deve ser suficiente para cobrir as flores. Em seguida, giltre e armazene em uma garrafa de vidro escuro firmemente tapada durante 9 dias. Agite a mistura várias vezes ao dia. Após esse período de tempo, adicione a tintura em gotas às pomadas destinadas a massagens locais (traumas, hematomas, dores reumáticas e musculares).

Leia também: “Propriedades e Usos da Arnica Montana“.

Contraindicações da Arnica

  • A planta ou óleo essencial não devem ser ingeridos. A preparação homeopática altamente dissolvida de arnica é considerada segura para uso oral em doses terapêuticas adequadas.
  • A sobredosagem do extrato de arnica tem produzido casos de envenenamento (com sintomas tóxicos como vômitos, diarreia e hemorragia) e inclusive a morte. A tintura homeopática pode ser ingerida de forma segura.
  • É preciso interromper o tratamento se aparece uma erupção cutânea e não deve ser usadas sobre a pele que não esteja intacta.
  • A arnica não deve ser aplicada em golpes onde há uma ferida aberta.
  • O uso externo prolongado do extrato de arnica em altas concentrações pode dar lugar à bolhas, úlceras da pele e necrose da superfície.