Usos Medicinais Do Ginseng

Uma variedade de suplementos de ginseng têm sido usadas em todo o mundo para várias condições. A verdade é que nem todos foram testados ou estudados. Conheça para que serve e para o que não serve esta popular erva medicinal.

O nome ginseng é comumente usado para nomear o ginseng asiático (Panax ginseng), mas também existem outros tipos, tais como o ginseng americano, eleuthero ou ginseng siberiano (que não é um ginseng verdadeiro, pois não tem o mesmo composto).

Tem sido usado na Ásia e na América do Norte por centenas de anos e sabe-se que a variedade americana é menos estimulante do que a variedade asiática, por isso, é comum vê-lo como uma substância que acompanha os suplementos e inclusive as bebidas que buscam estimular e dar mais energia ao sistema imunológico.

Usos Medicinais do Ginseng

Tem sido utilizado para melhorar o pensamento, a memória, a concentração e a resistência física ou esportiva. Mas os estudos continuam fornecendo evidências da sua eficácia para diferentes usos que você encontrará a seguir.

Na medicina chinesa e em outras partes do Extremo Oriente tem sido tradicionalmente usado para manter e melhorar a saúde em geral, para aumentar a sensação de bem-estar, as capacidades mentais e físicas, assim como para tratar a disfunção erétil, e a hepatite C.

Usa-se a raiz da planta, que é a que tem mais componentes químicos, os mesmo que dão as propriedades curativas do ginseng. Normalmente a raiz é seca e usada para fazer cápsulas, chás ou extratos.

É preciso considerar que para que seja um ginseng "puro" ou mais eficaz, deve ser um do gênero Panax (ginseng asiático ou americano) e não o siberiano, que não tem as mesmas propriedades e que o que tem sido utilizado por mais de 2.000 anos é precisamente o asiático, cujo nome significa "homem-raiz".

O que dia a ciência sobre o ginseng:

Ginseng asiático: Este ginseng de acordo com a evidência científica até à data, possivelmente ajuda a diminuir os níveis de açúcar no sangue, embora certamente não seja um substituto para o tratamento de diabetes que o seu médico indica para você; os estudos também sugerem que poderia ajudar a fortalecer o sistema imunológico; possivelmente ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL), e poderia melhorar os sintomas da menopausa. Embora os estudos até à data não deem conclusões concretas a respeito e ainda sejam necessárias mais investigações.

Por outro lado, as investigações que têm sido feitas com ginseng até à data sugerem que é duvidoso que esta erva tenha um efeito positivo, ou seja, que ajude para as seguintes condições: rendimento atlético ou ao fazer exercício, para doenças cardíacas (incluindo insuficiência cardíaca), proteção do fígado, problemas pulmonares, hipertensão; ejaculação precoce; infertilidade masculina; demência; disfunção erétil; libido nas mulheres; sensação de bem-estar e funcionamento mental. Será necessário realizar mais estudos e obter resultados diferentes antes que mudarem as recomendações para o uso nestas condições.

Ginseng americano: Esta também é uma erva da qual se usa apenas a raiz. Os estudos científicos, até à data sugerem que é possivelmente eficaz para reduzir o nível de açúcar no sangue, especialmente em pacientes com diabetes tipo 2 e para prevenir infecções respiratórias, como a influenza, as gripes e os resfriados.

Por outro lado, os estudos não forneceram evidências suficientes para determinar que ajude para o estresse, para a anemia, insônia, impotência, HIV ou AIDS; para o câncer de mama nem para o rendimento atlético.

Um estudo recente publicado na revista "Cancer Letters", disse o extrato de ginseng americano causou a morte das células cancerosas da área do reto e do cólon em um teste de laboratório e que também se combinado com outros antioxidantes tais como a vitamina C este efeito poderia inclusive melhorar. Por enquanto não está claro se isso acontece em pessoas também. No entanto, é algo que está sendo investigado. E os cientistas sugerem que talvez este tratamento pudesse também evitar esse tipo de câncer, por isso pensam em continuar os estudos para obter informações.

E, embora ainda existam dúvidas sobre a sua contribuição para melhorar a fadiga relacionada ao câncer, vários estudos têm sugerido que efetivamente poderia ser uma boa ferramenta para reduzir esse sintoma.

Um deles realizado em 40 instituições simultaneamente e publicado na Revista National Cancer Inst. descobriu que altas doses da variedade americana, por longos períodos de tempo (mais de dois meses), conseguiu reduzir a fadiga relacionada ao câncer de 20 pontos, em uma escala de 100, em 340 pacientes com esta condição. Neste caso, foram utilizados comprimidos de 2.000 miligramas diários da raiz de ginseng americano puro pulverizado. O que alertaram os pesquisadores é que o ginseng do estudo não é o que tipicamente conseguem os consumidores.

Ginseng siberiano: Este é o tipo de ginseng que não é "real" e embora também tenha propriedades medicinais e dele se utiliza a raiz (como nos outros dois) não deve ser confundida porque nem o efeito nem as substâncias que contêm, nem sua forma de curar são iguais.

Este ginseng, de acordo com a evidência científica até à data, poderia servir para diminuir a frequência e a duração de infecções pelo vírus do herpes simplex tipo 2 (em combinação com outra ervas, Andrographis) para aliviar os sintomas do resfriado comum.

Mas os estudos sugerem que não existem provas suficientes para apoiar a sua utilização para outras condições neste momento.

O uso do ginseng é seguro:

Primeiro de tudo você deve saber é contraindicado em mulheres grávidas, pois é uma das substâncias no ginseng panax (e, portanto, o ginseng americano, por sua estreita relação) tem sido associada a possíveis defeitos de nascimento e, como há pouca informação sobre os efeitos que poderia causar no bebê após o nascimento, também se recomenda evitar o seu uso durante a amamentação, como medida de precaução.

Em geral, os efeitos colaterais do ginseng são leves, mas, como é um estimulante, não se recomenda tomar com cafeína ou prolongar muito o seu uso (em média, sugere-se três meses no máximo). Se este prazo for estendido é mais comum que cause dores de cabeça, tonturas, dores de estômago ou distúrbios do sono. Alguns relatórios incluem nervosismo, irritabilidade e efeitos cardíacos (como alterações no pulso ou pressão arterial). Muito raramente se apresentam reações alérgicas graves ou danos ao fígado.

Nas mulheres, o ginseng poderia causar hipersensibilidade e irritabilidade nas mamas ou alterações menstruais (embora seja possível que isso seja devido ao fato de misturá-lo com outras ervas) e como afeta os níveis de açúcar se você é diabético e toma remédios para diabetes sempre deve consultar seu médico antes de tomá-lo, porque você pode ter hipoglicemia (redução em seu nível de açúcar no sangue). Se você toma medicamentos anticoagulantes, também deve ter cuidado, o ginseng poderia diminuir seus efeitos.

Tal como acontece com todos os suplementos e ervas, recomenda-se suspender o ginseng com antecedência se você vai se submeter a uma cirurgia (poderia interferir com o controle do seu nível de açúcar). E, claro, que você deve consultar o seu médico ou um profissional qualificado que conheça o seu caso particular e tudo o que você toma antes de começar.

Para mais informações, leia também: "Ginseng: Propriedades e Benefícios mais Importantes do Ginseng".

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Confira Mais Sobre Esse Assuto