O pé de atleta é uma infecção produzida por fungos, normalmente dermatófitos ou por leveduras, os quais proliferam em ambientes quentes e úmidos. Por isso, se contrai, com relativa facilidade, ao caminhar descalço em áreas públicas, como piscinas, chuveiros e ginásios e são mais comuns nos pés que transpiram muito.

O pé de atleta pode afetar tanto as unhas como a área ao redor dos dedos e, inclusive, pode se estender para outras partes do corpo.

Sintomas mais comuns estão:

  • Pele branca e empolada entre e debaixo dos dedos do pé (se o pé de atleta é deixado sem tratamento, à pele ficará avermelhada, escamosa e rachada).
  • Coceira na área afetada.
  • Unhas grossas, de cor amarela e, por vezes, se desprendem do leito ungueal se as unhas são afetadas.

Remédios Caseiros Para Pé de Atleta:

  • Coloque alho picado nas meias antes de ir para a cama e deixe as meias colocadas durante toda a noite. O alho cru é um antibiótico poderoso e ajuda a reduzir o fungo que causa o pé de atleta.
  • Seque o pé completamente com um secador de cabelo após o banho e depois aplique cinco gotas de óleo essencial da árvore do chá para cobrir a área afetada. Este óleo é um antisséptico natural e combate vários tipos de infecções de pele, incluindo pé de atleta.
    Remédios Caseiros Para Pé de Atleta
  • Ferva duas colheres de sopa de pétalas de calêndula em uma xícara de água durante 3 minutos. Deixe esfriar e coloque em um recipiente grande o suficiente para colocar seus pés. Tome um banho de pés com esta mistura durante 10 minutos. Em seguida, seque os pés em profundidade.
  • Coloque em uma tigela grande o suficiente para introduzir os pés, a quantidade de água para cobri-los e, em seguida, adicione três colheres de sopa de sal. Deixe os pés neste banho durante 10 minutos e depois os seque em profundidade. Em vez de sal, você também pode usar bicarbonato de sódio.
  • Ferva 4 xícaras de água e adicione entre 8 e 10 paus de canela quebrados. Reduza para fogo baixo e mantenha o recipiente assim durante 5 minutos ou menos. Mexa e deixe descansar durante 45 minutos. Coloque os pés em uma bacia que contenha esta preparação ainda quente e deixe durante 10 minutos. Em seguida, seque completamente os pés, com papel toalha descartável.
  • Coloque, duas vezes por dia, o gel que se encontra dentro das folhas de aloe vera e deixe até secar.
  • Deixe em imersão os pés em uma forte solução que contenha vinagre de maçã.
  • Aplique iogurte natural sobre os dedos e deixe agir durante toda a noite.

Recomendações Preventivas: Evitar andar descalço na academia, quartos de hotel e qualquer outro lugar onde há pessoas com os pés descalços.

Sempre mantenha os pés limpos e secos tanto quanto possível. Evite o consumo de produtos com levedura, como pães e outros produtos assados, já que, de acordo com investigações, as pessoas que ingerem grandes quantidades de levedura são mais propensas a ter pé de atleta.

Preencha os sapatos com jornal, caso estes tenham molhado pela chuva; desta forma a umidade será absorvida. Igualmente, é aconselhável mudar de sapatos, de modo que nunca sejam usados molhados.

Recomendações Quando Você Tem Pé de Atleta:

  • Usar uma toalha e tapete de banho diferentes daqueles usados pelo resto da família.
  • Aplique diretamente sobre os pés pó absorvente, especialmente entre os dedos, duas vezes por dia. Os fungos do pé de atleta não sobrevivem sem umidade.
  • Não aplique nos pés, embora pareçam ressecados e apresentem rachaduras, cremes hidratantes nem vaselina, já que estes prendem a umidade e incentivam o desenvolvimento do fungo.
  • Evite usar meia-calça de nylon, se você tem pé de atleta e, em vez disso, utilize, na medida do possível, roupas de algodão. O nylon não deixa evaporar a umidade, enquanto que o algodão a absorve. Outra opção poderia ser o uso de meias de polipropileno, já que estas fibras extraem a umidade da pele e a liberam no meio ambiente, também te manterá seco, ainda mais do que o algodão.
  • Troque as meias, pelo menos uma vez por dia, já que, caso contrário, você pode voltar a expor os pés à umidade e os fungos do interior.
  • Lave as meias ou meia-calça com um desinfetante líquido no enxágue final para terminar de destruir as bactérias. Seque, se possível, com um secador para terminar com estes micro-organismos.
  • Primeiro, coloque as meias e, depois, a roupa íntima, já que se você tem os dedos ou as unhas muito infectados o fato de colocar a roupa íntima passando por cima dos pés descalços pode contaminar também as partes íntimas.
  • Pulverize o interior dos sapatos (incluindo chinelos) com um líquido desinfetante, pode ser álcool. Deixe secar durante a noite ou inclusive, se possível, deixe na luz do sol diretamente antes de colocá-los novamente.
  • Retire a pele morta. Quando se refere à fase aguda do ataque, é preciso retirar toda a pele morta, pois ainda pode conter fungos vivos que podem reinfectar. Ao tomar banho, é necessário escovar todo o pé de leve, mas vigorosamente, com uma escova de cerdas. Tenha especial cuidado ao limpar os espaços entre os dedos; utilize uma escova pequena ou aquelas que costumam ser utilizadas para limpar tubos de ensaio. Se você escovar os pés na banheira, você deve lavá-la depois para remover qualquer pedaço de pele que, uma vez desprendida, poderia se alojar em alguma outra parte do corpo e provocar ali uma nova infecção mais difícil de erradicar.
  • Escolha sapatos apropriados. Evite sapatos e calçados de plástico à prova de água, já que este tipo de sapato retém a transpiração e cria um local quente e úmido onde pode crescer o fungo. Os materiais naturais como algodão e couro podem criar o melhor ambiente para os pés, mas a borracha e inclusive a lã podem induzir a transpiração e reter a umidade. Sempre que possível, use calçado ventilado, como sandálias.
  • Procure um podólogo (especialista em cuidados com os pés) ou médico de família se você observar:

    • Inchaço no pé ou na perna.
    • Febre.
    • Acumulação excessiva de pus, bolhas ou rachaduras na pele que não permite realizar as atividades normais.
    • Se você tiver seguido todas as recomendações acima expostas corretamente durante 10 ou 14 dias, mas os pés ainda continuam coçando e ardendo.