O refluxo é apenas a falha do sistema digestivo para manter recluso o conteúdo gástrico no estômago por diferentes causas, como:

  • A presença de uma hérnia de hiato.
  • Alteração do clareamento esofágico.
  • O aumento da pressão abdominal.
  • Alteração do esvaziamento gástrico.
  • Dieta.

O refluxo pode passar despercebido em um bom número de casos, tornando-se evidente somente quando ocorre alguma lesão no esôfago.

Em qualquer caso, o grau de refluxo ou lesão esofágica não é proporcional à intensidade dos sintomas, até o ponto em que os pequenos refluxos podem resultar muito incômodos, enquanto que grandes lesões algumas vezes podem apenas produzem sinais.

Os principais sintomas associados ao refluxo gastroesofágico são:

  • Azia: é a sensação de queimação atrás do esterno (logo acima da boca do estômago), que geralmente ocorre após as refeições ou durante o repouso noturno; com frequência desperta o indivíduo duas ou três horas antes de deitar.
  • Regurgitação: é uma espécie de "ruminação" dos alimentos na boca que se produz de forma súbita, às vezes depois de um esforço, depois de comer, e que se manifesta como queimação no esôfago e uma sensação de acidez na boca. Isso pode ser perigoso se o teor de ácido é introduzido através da via respiratória e, por vezes, é responsável pelo aparecimento de tosse noturna crônica ou alguns tipos de ataques de asma.
  • Dor torácica: algumas vezes, é semelhante a que é produzida por uma doença cardíaca e produzida por danos no esôfago.
  • Disfagia e odinofagia: são a dificuldade para engolir ou dor quando o faz; não são sintomas frequentes e sua presença constante obriga a descartar processos malignos oclusivos.
  • Sangramento: devido a ulcerações da mucosa do esôfago pela contínua irritação do ácido refluído.

Leia também: “Sucos e Batidos Para Úlceras”.

As principais complicações do refluxo gastroesofágico são a estenose esofágica (redução parcial ou total do calibre do tubo), úlceras pépticas e o esôfago de Barrett, que consiste na substituição da mucosa normal da parte inferior do esôfago por outra diferente e que associa certo risco de terminar em câncer.

Sucos Para Refluxo:

Ingredientes:

  • 1 fatia de mamão
  • 1 xícara de leite de arroz

Preparação: Coloque a fatia de mamão picada no liquidificador junto com o leite de arroz. Misture por alguns instantes e tome um copo por dia.

Ingredientes:

  • 1 pêssego
  • 1 banana
  • 1 xícara de iogurte natural

Preparação: Corte em pedaços o pêssego e a banana e coloque no liquidificador junto com o iogurte natural. Misture por alguns momentos e tome frio diariamente. Este suco não apenas ajuda a combater o refluxo e até a acidez, mas também é refrescante.

Ingredientes:

  • 3 folhas de couve
  • 1 cabeça de brócolis

Preparação: Lave perfeitamente a couve ou repolho e o brócolis, e coloque no liquidificador ou processador com um pouco de água. Misture por alguns instantes. Tome 1 xícara todos os dias de preferência na parte da manhã.

Ingredientes:

  • 1 maçã
  • 1 colher de chá de gengibre em pó
  • 1 pera

Preparação: Lave e pique a maçã e a pera e, em seguida, coloque em um liquidificador e bata por alguns instantes. Em seguida, sirva em um copo e polvilhe o gengibre por cima. Tome 1 copo por dia.

Ingredientes:

  • 1 suco de aloe vera
  • 1 pera

Preparação: Lave e pique a pera e, em seguida, coloque em um liquidificador juntamente com o suco de aloe vera (você pode obter puro em farmácias botânicas e ervanárias) e misture por alguns instantes. Tome 2 copos por dia.

Ingredientes:

  • 1 batata grande

Preparação: Lave perfeitamente a batata e coloque no liquidificador com um pouco de água. Bata e tome 2 copos por dia.

Ingredientes:

  • 2 cenouras
  • 1 colher de chá de gengibre em pó

Preparação: Lave e pique as cenouras e, em seguida coloque no liquidificador junto com um pouco de água. Misture e despeje em um copo. Polvilhe o gengibre sobre o suco e tome 2 vezes ao dia por 15 dias e, em seguida, apenas uma vez.

Atenção, as sugestões encontradas nesse artigo não possuem base científica comprovada, sendo assim não devem ser substituídas, em hipótese alguma, por um tratamento médico convencional e/ou ao seguir essas sugestões, os sintomas ou condições a que esse artigo se propõem ajudar podem se agravar.