A doença periodontal ou cáries são alguns dos problemas que podem ser evitados se realizarmos as revisões correspondentes em clínicas odontológicas e incluirmos os hábitos de higiene bucal adequados em nossa vida diária.

Controlar em todos os momentos a ação da placa bacteriana sobre a superfície das estruturas dentais e orais a partir de diversos elementos é o objetivo que perseguem as atividades que incluem uma correta higiene bucal.

Hábitos de Higiene Bucal em Crianças e Adultos

Além das mudanças introduzidas em nossa dieta e diferentes métodos usados para reforçar a resistência dos nossos dentes, os hábitos de higiene a que nos referimos nas linhas anteriores se converterão em uma das mais medidas de prevenção mais importantes. Sem ir mais longe, doenças como as mencionadas anteriormente, ou seja, a doença periodontal ou as cáries podem reduzir significativamente sua incidência através dos cuidados que proporcionaremos à nossa boca e nossos dentes, uma atenção que devemos supervisionar desde uma idade precoce.

No caso específico das crianças, pode-se dizer que esses hábitos higiênicos começariam a partir do momento em que surge o primeiro dente na boca. Nestes casos, os próprios pais podem limpar o dente com uma gaze, mas quando existe um maior número de dentes, você deve sempre começar pela mesma arcada, limpando as faces vestibulares, as linguais e, finalmente, as oclusais, assim como a língua e bochechas.

A Importância da Higiene Bucal

Leia também: “Como Ter Uma Higiene Bucal Adequada“.

Até que a criança complete três anos de idade é aconselhável não usar creme dental, pelas complicações que pode envolver o fato de que a criança não faça a ingestão do produto. O creme dental estimula a secreção de saliva, complicando a tarefa de ver os dentes.

A idade ideal para que a criança visite pela primeira vez o dentista, seja em clínicas dentárias ou no profissional que nos resulte mais confiança, é de dois anos, mas em muitos casos é adiada até 5 anos de idade. Os pais precisam de informações sobre a escova e o uso de cremes dentais com flúor. Com esta visita tão precoce ao especialista médico se conseguirá, não apenas que percam o medo deste tipo de profissionais, mas ao mesmo tempo será revisado o desenvolvimento das arcadas dentárias e dos ossos maxilares, confirmar hábitos alimentares, o uso de flúor. Assim, pretende-se que a criança entre 6 e 10 anos já possa ir se responsabilizando por sua própria higiene bucal.

Lembre-se que as escovas para crianças mais adequadas são aquelas que possuem cerdas macias com pontas arredondadas.

Para os adultos, em relação ao trabalho de escovar temos que evitar as escovas com cerdas duras, porque podem produzir lesões traumáticas e recessões gengivais. O momento adequado para este trabalho é estimado em aproximadamente dois minutos, devendo repassar as bochechas, o palato, as gengivas e a língua para um controle mais completo da placa.

Não seria nada desejável incorporar a limpeza interproximal com a higiene bucal diária, uma vez que nos ajudará a reduzir a inflamação gengival e as cáries interproximais. É necessário extremar a precaução quando nos dispomos a usar o fio dental, porque pode rasgar a gengiva.

No caso da pasta de dentes, utilizada para reduzir a hipersensibilidade, a doença periodontal e a formação de cálculos, a dosagem utilizada é de cerca de 1, 5 mg de fluoreto. Por outro lado, o uso de antisséptico bucal, embora não elimine a película dental, nos ajudará a melhorar a halitose e acabar de forma temporária com o número de micro-organismos que se acumulam na microbiota bucal.

É preciso lembrar que após o uso de antisséptico bucal, é conveniente não lavar a boca com água ou outro tipo de líquido, pelo menos, durante 30 minutos, já que este último comprometeria a eficácia do produto em nossa saúde bucal.

Você também cuida da sua saúde bucal?