Como sabemos, os métodos de medicina alternativa à química gozam de uma grande popularidade atualmente. Hoje destacamos, entre todos eles, a chamada apiterapia, que se baseia no uso do veneno de abelha para tratar determinados problemas de saúde. Esta substância é o veneno que produz a abelha, e de acordo com os especialistas possuem grandes benefícios para o nosso organismo.

A origem exata desta técnica é desconhecida, embora caiba mencionar o trabalho do médico austríaco Philip Terc durante o século XIX. Dizem que foi em 1844, quando o cientista descobriu que o veneno da abelha aliviava as dores articulares que provocava o seu reumatismo. Tudo isso foi o resultado de um acidente, pois terc foi atacado por uma multidão de abelhas, verificando depois que suas mordidas haviam aliviado determinados desconfortos.

Quais são os benefícios da apiterapia?
Um dos principais benefícios do veneno da abelha é que é um produto totalmente natural, livre de qualquer substância química. Entre suas múltiplas propriedades encontramos que possui efeitos antibacterianos, analgésicos, antifúngicos e anti-inflamatórios. Graças a eles, ajuda a tratar problemas como artrite reumática ou hipertensão.

A explicação para tudo isso se encontra nos componentes desta substância, entre os quais se destacam três importantes enzimas: apamina, peptídeo 401 e melitina. Também, possui um alto nível de proteínas, aminoácidos, péptidos e fosfolipídios, assim como 88% de água.

Esta terapia natural é realmente eficaz em casos de doenças autoimunes, e também em todos os tipos de condições musculares. É usada, por exemplo, para aliviar os sintomas de lúpus, gota, esclerose múltipla, psoríase, enxaquecas, lesões esportivas, etc. No que diz respeito às mulheres, a apiterapia é amplamente utilizada para aliviar o desconforto de diversos distúrbios hormonais.

O veneno de abelha também é amplamente utilizado no mundo da cosmética. Os especialistas dizem que ajuda na eliminação de substâncias tóxicas e na liberação de histamina, responsável pelo inchaço, comichão e vermelhidão. Além disso, suas propriedades antissépticas e curativas se converteram no ingrediente estrela em muitos produtos de beleza. Alguns dizem, inclusive, que é a melhor alternativa natural ao botox.

Leia também: "Apiterapia: Cura Com Picadas de Abelha".

As sessões de Apiterapia são realizadas com abelhas de 20 a 30 dias de vida, no fim do seu ciclo de vida, já que uma vez que injetam seu aguilhão morrem dentro de duas horas. O terapeuta deve manter cada abelha no tórax, com a ajuda de uma pinça metálica, e aproximá-la até a área específica na qual se deseja aplicar o veneno, pressionando suavemente seu aguilhão contra a pele. Depois se retira o ferrão com cuidado e o procedimento é repetido em diferentes pontos do corpo.

Como efeitos colaterais nos pacientes, os mais comuns são vermelhidão, coceira, inchaço, febre e dor local. Duram aproximadamente quatro dias e podem ser aliviados com a aplicação de gelo na área afetada e bebendo abundante água.

A apiterapia apenas só pode ser aplicada por um profissional, pois usada de maneira incorreta, pode perigosamente prejudicar a nossa saúde. Além disso, não é apropriada para todos; por exemplo, podem ser prejudiciais para mulheres grávidas e para pessoas com câncer, doenças cardiovasculares, doenças infecciosas e doenças sexualmente transmissíveis.