As mulheres portadoras das mutações nos genes BRCA1 ou BRCA2 têm um aumento significativo no risco de câncer de mama e de ovário em comparação com a população em geral.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Nestes casos, muitas mulheres optam por realizar uma salpingo-ooforectomia laparoscópica bilateral preventiva, uma cirurgia que pode reduzir o risco de aparecimento de câncer de ovário em quase 95%.

>O que é uma salpingo-ooforectomia laparoscópica bilateral?

Uma salpingo-ooforectomia laparoscópica bilateral é a remoção cirúrgica das duas trompas de Falópio e ambos os ovários.

Esta cirurgia é realizada para tratar:

Como Funciona a Cirurgia Preventiva para o Câncer de Ovário

Leia também: "Câncer de Ovário Saiba Reconhecer os Sintomas".

Como se realiza uma salpingo-ooforectomia laparoscópica bilateral?

Este tipo de cirurgia é realizada sob anestesia geral ou local, dependendo do tipo de procedimento.

Em uma salpingo-ooforectomia mediante laparoscopia, o cirurgião:

  • Faz pequenas incisões na parede abdominal logo abaixo do umbigo.
  • Através destas incisões introduz um laparoscópio, um tubo fino que contém uma pequena lente que leva conectada uma câmara e uma fonte de luz.
  • Mediante a câmera, o cirurgião pode ver a cavidade abdominal e separar os ovários e as trompas de Falópio para removê-los. Com o laparoscópio, costuma ser usada a anestesia local, e a recuperação é geralmente mais rápida. Se não houver complicações, a paciente pode deixar o hospital em um ou dois dias.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Em uma salpingo-ooforectomia aberta, o cirurgião:

  • Faz uma incisão de cerca de 10-15 cm de comprimento no abdômen. Normalmente na horizontal, para que a cicatriz seja menos visível, embora alguns cirurgiões prefiram a incisão vertical, já que proporciona uma maior visibilidade.
  • A principal desvantagem do salpingo-ooforectomia abdominal é que pode produzir um maior sangramento, que o procedimento é mais doloroso do que uma operação laparoscópica e o período de recuperação mais longo. Uma mulher precisará permanecer no hospital entre 2-5 dias, e demorará de 3 a 6 semanas para retornar às atividades normais.

Quais efeitos secundários têm este tipo de cirurgia?

A salpingo-ooforectomia não costuma levar associadas complicações graves. Embora pouco prováveis, podem aparecer obstruções do intestino delgado ou lesões do ureter em nível de ligamento suspensório do ovário.

No longo prazo, uma salpingo-ooforectomia tem consequências derivadas principalmente dos efeitos hormonais da cirurgia. Produz-se o que se conhece como menopausa cirúrgica. A menopausa cirúrgica é acompanhada de um início mais repentino e grave dos sintomas do que na menopausa natural.

Além do agravamento dos sintomas da menopausa, as mulheres que perdem ambos os ovários perdem a proteção hormonal contra doenças cardíacas e osteoporose.