Entre os testes mais comuns que os médicos realizam no recém-nascido encontramos o índice de Apgar, trata-se de um teste rápido que nos permite avaliar o estado de saúde do bebê de uma forma geral. São realizados duas vezes, no primeiro e quinto minuto de vida, embora o especialista possa pedir que seja repetido no décimo minuto.

Para Que Serve o Índice de Apgar?

Através deste teste são examinados cinco aspectos: a frequência cardíaca, o esforço respiratório, o tônus muscular, a cor da pele e os reflexos. Todos eles são classificados com 0 ou 2 pontos, podendo somar um total de 10. Desta forma é possível detectar determinados problemas rapidamente, fazendo com que o pessoal médico possa agir contra eles o mais rapidamente possível. Além disso, nos permite verificar como o bebê está se adaptando à vida fora do útero.

O índice de Apgar recebe seu nome do seu criador, a pediatra e anestesiologista americana Virginia Apgar. A mesma desenvolveu vários estudos a fim de reduzir o índice de mortalidade dos recém-nascidos, cujo resultado publicou em 1953, o que levou à criação deste famoso teste. Também é usado como acrônimo para refletir os parâmetros que mede: aparência, pulso, gesticulação, atividade e respiração.

O Que é o Índice de Apgar?

Aspectos a Serem Medidos no Teste de Apgar

O teste de Apgar é dividido em 5 seções, considerando os resultados positivos de 7 a 10. Estas pontuações indicam que o bebê está se adaptando bem à vida fora do útero, e costumam ser alcançados na primeira vez que o teste é realizado (o minuto do seu nascimento). Por outro lado, as crianças que obtém pontuações menores que 7 costumam precisar da intervenção de especialistas e inclusive ser levadas para a unidade de terapia intensiva.
O médico deve examinar cuidadosamente cada um dos cinco aspectos mencionados:

1. Frequência cardíaca: o especialista avalia mediante um estetoscópio, qualificando com 0 a ausência de frequência cardíaca, com 1 as pulsações menores que 100 por minuto e com 2 as pulsações maiores que 100. É um dos testes mais importantes do índice de Apgar.

2. Ritmo respiratório: é medido para verificar se os pulmões do bebê estão funcionando corretamente. Se não estiver respirando, é marcado como 0, enquanto se a respiração é lenta e irregular se pontua como 1. Quando o recém-nascido respira adequadamente o número sobe para 2.

3. Tônus muscular: são examinadas a força, os movimentos e a flexibilidade das extremidades. Quando estes se encontram totalmente flácidos e esticados, são pontuados como 0. Se o tônus muscular é fraco e o bebê pode flexionar um pouco os braços e as pernas, a pontuação seria 1. Quando seu movimento é ativo e não apresenta problemas, é pontuado como 2.

4. Cor da pele: indica o grau de oxigenação do bebê. Em relação aos de raça branca, se pontua como 0 se apresentam um tom azulado, 1 se a sua pele é rosada, mas suas extremidades azuis, e 2 se todo o seu corpo está rosado. Quanto aos bebês de raça negra, o médico deve examinar a cor da córnea, dos lábios, das mucosas da boca, das palmas das mãos e solas dos pés.

5. Reflexos: é importante analisar as respostas do recém-nascido diante de determinados estímulos, como tocar as solas dos pés ou o nariz. Se não reage, a pontuação é 0. Se, no entanto, gesticula e faz pequenos gestos e caretas, é pontuado como 1 e como 2 se chora, tosse ou espirra.

Devemos ter claro que o índice de Apgar não serve para prever a saúde da criança quando cresce, mas determina o estado do bebê no momento da avaliação e a forma pela qual está se adaptando ao mundo que acaba de chegar.

Para mais informações, não deixe de ler também: “Principais Exames Médicos do Recém-Nascido“.