Se o seu médico lhe disse que você precisa de uma histerectomia, você sabia que existem três tipos diferentes de cirurgia para remover seu útero? São elas: histerectomia abdominal, vaginal ou laparoscópica. Informe-se para que você possa entender como é cada processo cirúrgico e qual é o mais adequado para você.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Antes de falar dos tipos de histerectomia, lembramos que esta é uma cirurgia para remover o útero e, por vezes, o colo do útero. Quase sempre a histerectomia é acompanhada de um procedimento chamado salpingooforectomia, no qual também se extraem os ovários e as trompas de Falópio.

Apesar de ter nomes estranhos, são procedimentos bastante comuns. Especialmente a histerectomia, que é a segunda cirurgia mais comum entre as mulheres nos Estados Unidos. Para que você tenha uma ideia, 1 de cada 3 mulheres a realiza antes dos 60 anos.

Histerectomia: Tipos de Cirurgia

Por que se realiza? A histerectomia é um dos tratamentos para as mulheres que têm miomas uterinos, endometriose, prolapso uterino (quando o útero é baixo), câncer no útero e nos órgãos próximos a este. Inclusive, pode ser um último recurso em caso de emergência, como quando você tem uma dor pélvica grave ou uma hemorragia vaginal que não pode ser controlada com nada.

Agora, vejamos quais são os três tipos de procedimentos cirúrgicos para realizar a histerectomia...

Histerectomia abdominal: Esta é a cirurgia mais comum, pois é realizada em mais da metade dos casos. Caracteriza-se, porque fazem um corte na parte inferior do abdômen, que mede aproximadamente de 5 a 7 polegadas (12 a 18 centímetros), e pode ser horizontal ou vertical. Se for vertical, vai desde o umbigo até acima do osso púbico; e se é horizontal, é feito sobre o limite do pelo púbico, também conhecida como a "linha do biquíni".

Através desta corte, o cirurgião separa o útero dos ligamentos, os tecidos que o sustentam e os vasos sanguíneos, e em seguida o retira por esta mesma abertura. Depois que se retira o útero (e os outros órgãos que o médico indicar), o corte em seu abdômen é fechado com suturas (pontos) ou grampos metálicos (de titânio), os quais são retirados geralmente uma semana após a cirurgia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Histerectomia vaginal: Este é o segundo tipo mais comum de histerectomia, e se caracteriza porque o útero é removido através da vagina. Como? Realizam um pequeno corte na parte superior da vagina, de modo que o cirurgião possa introduzir os instrumentos necessários, separar o útero e removê-lo. A vantagem mais significativa desta cirurgia é que evita a cicatriz no abdômen, além do tempo de recuperação ser mais curto.

Histerectomia laparoscópica: Este tipo de histerectomia é o mais recente. Caracteriza-se porque em vez de fazer um corte longo em seu abdômen, são feitos pequenos cortes (um centímetro) pelos quais o cirurgião insere um pequeno laparoscópio e outros instrumentos para fazer a separação do útero e, em seguida, extraí-lo. O que é um laparoscópio? É um pequeno dispositivo que tem uma fonte de luz e que permite aos médicos ver o que acontece dentro do seu abdômen através de uma pequena tela. Assim, podem manipular os outros instrumentos através dos pequenos cortes, sem ter que abrir mais o seu abdômen.

Quando o útero já estiver separado, em alguns casos, é possível extraí-lo em pedaços, através de pequenos cortes no abdômen, mas, por vezes, deve ser removido através da vagina (histerectomia vaginal assistida por laparoscópio) cicatriz. Embora a cicatriz seja muito menor, esta cirurgia envolve o risco de que possa afetar outros órgãos.

Como se Define o Tipo de Histerectomia Que Será Realizada?

Tudo depende da razão pela qual você precisa de uma histerectomia. Por exemplo, se o seu útero é muito grande ou tem tumores grandes, câncer ou endometriose, o mais provável é realizar uma histerectomia abdominal. Além disso, pode ser realizada quando o médico quer explorar melhor o seu útero e os órgãos pélvicos que o rodeiam para identificar ou analisar certos sinais invisíveis em outros procedimentos... Essa é uma das principais vantagens da histerectomia abdominal.

A histerectomia vaginal apenas é recomendada quando você tem prolapso uterino, hiperplasia endometrial ou cervical (quando as células do tecido que reveste as paredes do útero ou do colo do útero crescem excessivamente). Ou simplesmente quando o seu útero tem um tamanho adequado para ser removido através da vagina.

A histerectomia laparoscópica é normalmente realizada em casos mais simples. Embora possam realizar uma histerectomia vaginal assistida por laparoscopia quando não é possível realizar uma histerectomia vaginal normal, ou quando os médicos precisam da visibilidade adicional que oferece o laparoscópio.

Seja qual for o seu caso, a histerectomia deve ser considerada como último recurso quando outros tratamentos não funcionaram e você precisa de uma solução urgente. Lembre-se que a histerectomia é uma solução radical, pois depois não será possível ter filhos e poderia causar uma menopausa precoce. É claro, se você remover os ovários te causará menopausa neste momento. Então... Informe-se bem, fale com o seu médico e, se puder, peça uma segunda opinião.