Se você está grávida ou tem em seus planos ficar grávida em breve, é importante informar-se sobre as infecções que podem ocorrer e como você pode proteger o seu bebê delas, já que podem causar sérios problemas de saúde. Aqui te contamos mais sobre as infecções que podem ocorrer durante a gravidez e como se cuidar.

Estar grávida significa mudar totalmente o seu foco de atenção e seus cuidados para esse novo ser que está se formando em seu interior. Claro, isso significa que você deve se cuidar ao máximo para poder estar saudável e prevenir algumas doenças infecciosas que podem afetar sua gravidez. Existem algumas infecções que podem ser inofensivas para o bebê, mas outras, no entanto, podem ser transmitidas através da placenta ou durante o parto. Se isso acontece, o bebê pode sofrer graves consequências para a saúde.

Leia também: “Doenças Mais Comuns em Recém-nascidos“.

Embora existam situações que estão além do seu controle durante a gravidez, como o fato de que a gravidez por si só enfraquece o sistema imunológico, o que você pode fazer é tomar as precauções necessárias para que haja menos probabilidade de ficar doente. É importante que você receba os cuidados pré-natais, que incluem exames de sangue para saber se você está imune a certas infecções como a varicela ou rubéola, se tem alguma infecção sexualmente transmissível. Também existem exames para detectar outras infecções, como estreptococos do grupo B, o vírus que causa a varicela, o herpes denominado citomegalovírus (CMV) e listeriose. A seguir descrevemos as últimas três:

Infecções Que Podem Afetar o Feto ou Recém-Nascido

Estreptococos do grupo B: Uma de cada 4 mulheres pode estar infectada com estreptococos do grupo B. Estas bactérias geralmente não causam danos a você, mas podem ser prejudiciais para o seu bebê. São transmitidas durante o parto e podem provocar uma infecção grave no seu recém-nascido. O estreptococo do grupo B é uma bactéria que muitas pessoas saudáveis têm no trato intestinal. Esta bactéria pode também estar presente em sua vagina, pela qual afetaria o seu bebê em sua passagem através da vagina no momento de dar a luz. O estreptococo do grupo B pode causar septicemia (uma infecção no sangue), pneumonia e meningite em recém-nascidos.Para saber se você tem o estreptococo do grupo B, o seu médico fará um exame no final da gravidez (entre a semana 35 e a semana 37). Desta maneira, se for positivo, poderá te receitar antibióticos durante o parto para proteger o seu bebê. Assim, as chances de que seu bebê fique doente são reduzidas quase inteiramente. Isso, especialmente se você tiver um parto a termo, se você não tem febre e se a sua bolsa de água não foi rompida muito tempo antes de você dar à luz.

Citomegalovírus (CMV): Este vírus é da família dos vírus que causam o herpes e a varicela. De acordo com a Academia Americana de Pediatria, é o vírus que se transmite com mais frequência durante a gravidez. Estima-se que 1% dos bebês nasce com esta infecção, que no momento do nascimento se denomina citomegalovírus congênito. Enquanto a maioria dos bebês que nasce com uma infecção causada por este vírus fica bem e não apresentam sintomas; alguns podem ter problemas em longo prazo, como a perda de visão e audição ou deficiência mental.O vírus CMV é transmitido através dos líquidos corporais como saliva, urina, sangue, secreções vaginais e sêmen. As crianças pequenas são as que mais comumente podem ter esse vírus em sua saliva e urina. No caso das mulheres grávidas, o contágio se produz geralmente por via sexual e por contato com a saliva e a urina de crianças pequenas (se você já é mãe deve prestar atenção aos cuidados para evitar o contágio). É por isso que se você está grávida deve ser cautelosa tomando certas medidas, como:

  • Lave as mãos com água e sabão após trocar as fraldas do seu bebê, após alimentá-lo, depois de limpar o seu nariz ou boca, após tocar os seus brinquedos, sua chupeta, etc.
  • Não compartilhe seus alimentos, bebidas, utensílios e escova de dente com uma criança pequena.
  • Não coloque na boca a chupeta do seu bebê.
  • Use desinfetante para limpar as superfícies que possam ter saliva ou urina de um bebê ou criança pequena.
  • Tente não trocar saliva com seu bebê ou criança pequena quando lhes dá um beijo.

    Listeriose: Esta infecção é causada pela ingestão de alimentos contaminados pela bactéria Listeria monocytogenes. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, por sua sigla em Inglês) dos Estados Unidos, esta doença afeta apenas 2.500 pessoas por ano neste país. No entanto, em outros países a incidência pode ser maior. Além disso, estima-se que as mulheres grávidas são 13 vezes mais propensas de contrair a listeriose, a qual pode causar infecções do sangue, dificuldade para respirar, febre, lesões em vários órgãos, úlceras na pele, meningite e outras complicações sérias para recém-nascidos. A listeria pode infectar a placenta e o líquido amniótico até chegar ao bebê, o qual também pode causar um aborto espontâneo ou um bebê que nasce sem vida (natimorto).Os bebês também podem ser infectados durante o parto, já que a bactéria pode se propagar para a vagina, o colo do útero e o trato gastrointestinal.

    Você deve estar alerta aos sintomas da listeriose, que podem se assemelhar aos de uma gripe (influenza ou gripe), com calafrios, febre, dor de cabeça e dor nas costas, sintomas gastrointestinais, tonturas, confusão e inclusive convulsões. Se você, em seguida, chamar o médico e realizar um exame de sangue que resulta positivo, este te receitará antibióticos para tratar a infecção.

    Leia também: “Listeria, Bactéria Que Pode Causar Abortos“.

    O mais importante é que você tome precauções para evitar se infectar. Existem alguns alimentos que você deve evitar e também saber como lidar com os restos (as sobras) das refeições com as refeições reaquecidas. Cozinhe bem a carne, o frango e o peixe. Evite consumir leite não pasteurizado (sem tratamento) e os queijos moles feitos a partir de leite não pasteurizado. Tenha cuidado com as carnes frias (mortadela, presunto, salsicha) e sempre as aqueça, embora digam que estejam pré-cozidas. Evite comer patê e lave muito bem as frutas e as verduras.

    Evite também comer saladas preparadas que são vendidas em supermercados e restaurantes, especialmente se contêm ovos, frango ou frutos do mar. A salada de batata também deve ser consumida com cuidado, especialmente se você vai a um piquenique, a menos que tenha certeza de que foi conservada na geladeira.

    O melhor é preparar as suas refeições em casa seguindo cuidadosamente as normas de higiene e cozinhando os alimentos a altas temperaturas. E outra coisa, não guarde as sobras por muito tempo.

    Se você tiver dúvidas sobre essas infecções e as precauções que deve tomar, consulte o seu obstetra.