Para entender o que é a endometriose, é necessário primeiro entender o que é o endométrio. Este é o nome dado ao tecido que cobre a parte interior do útero, lugar onde cresce o bebê durante a gravidez. Todo mês, o endométrio se engrossa para receber o óvulo fertilizado, e quando isso não acontece, chega a menstruação, que é quando o endométrio se desprende e sai do corpo como sangue. A endometriose ocorre quando esse tecido endometrial cresce em outro lugar fora do útero. Na maioria das vezes se encontra nas trompas de Falópio, nos ovários, atrás do útero ou no tecido que cobre a pélvis.

Ao crescer fora do útero, este tecido desenvolve pequenos grumos conhecidos como “implantes”. Quando chega o processo de ovulação e menstruação, o sangue que brota dos implantes não consegue encontrar uma saída do corpo e, ao ficar preso, forma como cicatrizes chamadas aderências, que cobrem os tecidos que as cercam e causam dor. Sem tratamento adequado, a endometriose tende a piorar ao longo do tempo porque com cada menstruação o problema aumenta.

Esta doença pode ser: leve, moderada ou grave. A classificação depende da amplitude dos implantes, se estão muito espalhados e da quantidade de aderências ou áreas com cicatrizes que foram geradas.

O Que Você Deve Saber Sobre a Endometriose

A endometriose é uma doença bastante comum, mas ainda há muito a aprender sobre o que a causa. Nos Estados Unidos, aproximadamente 5 milhões de mulheres sofrem com ela e é considerada uma das principais causas da infertilidade. Embora não seja uma doença maligna, ou seja, não é nem se torna câncer, a endometriose pode afetar muito a qualidade de vida de uma mulher.

Leia também: “Endometriose: O Que É, Sintomas, Diagnóstico e Tratamentos“.

Nem todas as mulheres que sofrem com endometriose apresentam sintomas. Algumas mulheres simplesmente nunca os têm, enquanto outras podem apresentar um ou mais sintomas.

Sintomas de Endometriose

  • Dores menstruais (dismenorreia): este é o sintoma mais comum. Geralmente se dor na pélvis (abdômen inferior) antes e durante o período menstrual. Também pode ser acompanhada de dores na parte inferior das costas e no abdômen. O grau de dor nem sempre tem uma relação direta com a gravidade da endometriose, pois algumas mulheres que têm endometriose leve sofrem de dores muito intensas, enquanto outras com endometriose grave podem nunca sentir dor ou apenas um pouco.
  • Dor na pélvis fora do período: podem sentir dor na pélvis durante a ovulação, ao ter relações sexuais, urinar ou defecar.
  • Sangramento excessivo: quando sangra muito durante o período (menorragia).
  • Mancha pré-menstrual: quando sangra entre os períodos.
  • Infertilidade: a forma mais comum de diagnosticar a endometriose é quando uma mulher tem problemas para engravidar.

Comumente, os sintomas começam vários anos depois que período menstrual começa. Ao longo dos anos, os sintomas tendem a aumentar enquanto as áreas com endometriose também se expandem.

Quando a menstruação se detém temporariamente devido à gravidez ou permanentemente devido à menopausa, os sinais e sintomas da endometriose param. Após a menopausa, os implantes diminuem de tamanho e os sintomas vão desaparecendo. Para as mulheres grávidas, infelizmente, estes podem retornar depois do parto.

Causas da Endometriose

Até o momento, as causas da endometriose são desconhecidas com certeza. Existem várias teorias a respeito.

Uma das teorias afirma que o sangramento menstrual que contém células endometriais retorna às trompas de Falópio onde se implanta e cresce. Outra teoria diz que algumas mulheres têm uma predisposição genética à endometriose devido à herança familiar. E, finalmente, uma terceira teoria se refere a deficiências no sistema imunológico que fazem com que o tecido menstrual se implante e cresça em diferentes áreas do útero.

Mas nenhuma das teorias está totalmente confirmada. Neste caso, o que é mais útil é saber quais são os fatores de risco que indicam que uma mulher pode ter endometriose:

  • Nunca ter estado grávida.
  • Que a mãe ou a irmã sofram de endometriose.
  • Ter períodos menstruais inferiores a 27 dias com sangramentos que duram mais de 8 dias.
  • Quando se tem problemas físicos que evitam o fluxo normal da menstruação.
  • Ter sofrido infecções que danificaram o tecido que cobre a pélvis.
  • Ter começado a menstruar em uma idade precoce.

Leia também: “Remédios Caseiros Para Endometriose“.

Prevenção e Tratamento da Endometriose

Como as causas da endometriose são desconhecidas, ainda não foram desenvolvidas formas definitivas para sua prevenção.

Quanto ao tratamento, existem várias opções. A escolha de qual é o melhor depende da situação específica de cada mulher: a gravidade da doença, a gravidade dos sintomas e se a mulher deseja engravidar no futuro. Além disso, esta decisão sempre deve ser tomada em consulta com um médico.

Vejamos quais são as opções de tratamento.

Quando se sofre de endometriose leve, o melhor é simplesmente controlar a dor e fazer exames regulares a cada 6 ou 12 meses. Alguns tratamentos caseiros para aliviar a dor podem ser os banhos com água morna ou panos quentes para relaxar os músculos da pélvis. Quanto aos medicamentos, você pode começar com o Ibuprofeno (Advil, Motrin IB, etc.) para ajudar a reduzir a dor menstrual. Mas se a dose máxima desses medicamentos não aliviaserá necessária a prescrição de um medicamento mais forte ou tentar outro tratamento.

Para as mulheres com endometriose leve que desejam engravidar, a melhor opção é buscar a gravidez por meios naturais o mais rápido possível. Se nos primeiros seis meses não conseguir, pode tentar com outros métodos de fertilização.

Quando a mulher não quer engravidar e sofre de endometriose moderada, as terapias hormonais podem ser sugeridas. Os suplementos hormonais são eficazes para reduzir ou eliminar a dor da endometriose. Isso ocorre porque as mudanças hormonais durante o período menstrual são exatamente as que causam fazem com que o tecido endometrial engrosse e termine em sangramento.

Um tipo de terapia hormonal é feita mediante o uso de contraceptivos orais que contenham estrogênio e progesterona. Quando usados de forma contínua (6 a 9 meses), o ciclo menstrual é suspenso durante um tempo período e é criado um estado parecida à gravidez, chamado pseudo-gravidez. O tratamento evita que a endometriose piore e alivia a dor, mas pode causar manchas.

Outro medicamento comum para estes casos é Danazol, que fornece o hormônio masculino. E os medicamentos conhecidos como antigonadotropinas (Depo Lupron e Synarel, entre outros), evitando que os ovários produzam estrogênio bloqueando a glândula pituitária que normalmente estimula os ciclos ovarianos.

No entanto, é necessário estar ciente de que os tratamentos hormonais podem causar efeitos colaterais, como manchas, ganho de peso, depressão e acne, dentre outros. Por esta razão, é importante que sejam sempre regulados por um médico e geralmente não devem durar mais de 6 meses, a menos que a recomendação seja diferente.

Quando a mulher deseja engravidar, os tratamentos de fertilização são os mais recomendáveis, se os métodos naturais falharem.

Leia também: “Histerectomia: Tipos de Cirurgia“.

Quando se sofre de endometriose grave ou de dor intensa, é possível considerar a cirurgia para remover os implantes e as aderências que se encontram dora do útero. Esta cirurgia não afeta nem remove qualquer órgão, apenas essas anormalidades. Além disso, em alguns casos, pode ser feita de forma laparoscópica, que tem uma recuperação mais rápida. A cirurgia costuma ser utilizada quando você está tentando engravidar ou quando a dor é intensa.

Para as mulheres que não desejam ter filhos no futuro e estão sofrendo de endometriose ou sintomas graves, existe a opção da histerectomia, que consiste na remoção do útero. Muitas vezes durante esta cirurgia, se realiza a remoção dos ovários e/ou das trompas de Falópio para garantir que a endometriose não volte. Se esses outros órgãos não forem removidos, certamente serão verificados para remover quaisquer implantes ou aderências que tenham.

Existem opções para tratar a endometriose, por isso não é preciso se preocupar. Mas o mais importante é que esta seja descoberta o mais cedo possível para evitar complicações adicionais e maiores dores.

Se você é uma mulher que poderia estar em risco de desenvolver endometriose (veja sintomas e causas), não espere até o último momento, peça uma consulta com seu ginecologista.