Um dos remédios naturais para aliviar o desconforto da síndrome pré-menstrual é o óleo de prímula. Proveniente da semente da planta de mesmo nome, este óleo também é recomendado para o tratamento de problemas da pele, o colesterol elevado, as doenças cardíacas e a osteoporose, entre muitas outras condições.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Esta planta, cujo nome científico é Enotera, tem sua origem no México e os países da América Central. Diz-se que nasceu aproximadamente há 70.000 anos, e graças às suas múltiplas propriedades é utilizado com frequência em cosméticos e medicamentos. De acordo com esses estudos, as antigas tribos americanas ferviam as raízes para se alimentar e curar feridas.

Óleo de Prímula Para a Síndrome Pré-Menstrual

Benefícios do Óleo de Prímula Para a Mulher:

Como mencionamos no início deste artigo, o óleo de prímula tem a capacidade de aliviar as dores pré-menstruais, por isso, é muito popular entre as mulheres. Trata-se de um óleo muito rico em ácidos graxos essenciais, especialmente no ácido linoleico e no ácido gama linoleico. Estes compostos promovem significativamente a produção de prostaglandinas, que por sua vez possuem importantes propriedades anti-inflamatórias. Desta maneira, alivia a dor da síndrome pré-menstrual.

Além disso, o óleo de prímula alivia a dor dos seios nos dias antes e durante a menstruação, causada pelo inchaço dos seios, enquanto combate a retenção de líquidos. Pela mesma razão, é também recomendado para as mulheres durante a menopausa.

Ao conter propriedades anti-inflamatórias, este óleo é recomendado em casos de artrite, dor nas articulações, diabetes, doenças cardiovasculares, obesidade, doenças de pele (acne, psoríase, eczema...), e inclusive osteoporose. Não esquecendo os seus efeitos benéficos sobre as unhas e os cabelos. Além disso, favorece o bom funcionamento do sistema nervoso.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Contra-indicações do Óleo de Prímula:

No entanto, e apesar de ser muito recomendado para a saúde da mulher, o óleo de prímula não deve ser consumido durante a gravidez, já que seus efeitos positivos ou negativos não estão demonstrados em períodos de gestação. E, embora possivelmente seja seguro tomá-lo durante a amamentação, é essencial consultar antes o nosso médico para evitar reações adversas.

Quanto as suas contraindicações, devemos dizer que não é adequado para pessoas com esquizofrenia, já que podem responder negativamente a uma substância chamada fenotiazinas, presente neste óleo. Tampouco é recomendado em casos de epilepsia e outros distúrbios relacionados com convulsões, pois a prímula pode promover o seu aparecimento.

Também devemos evitar o óleo de prímula se perdemos sangue recentemente, pois esta substância pode promover o aparecimento de hematomas e perda de sangue. Portanto, é prejudicial se nos submetemos ou vamos nos submeter a uma operação cirúrgica; deveríamos deixar de tomá-lo pelo menos duas semanas antes da intervenção.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Por todas estas razões, antes de começar a usar o óleo de prímula (seja aplicado na pele ou tomado por via oral), é essencial consultarmos um médico. Ele nos explicará as suas vantagens e desvantagens e saberá nos aconselhar sobre o seu consumo.

Para mais informações, sugerimos também a leitura do artigo “Óleo de Prímula – Benefícios e Propriedades Curativas do Óleo de Prímula”.