Remover cirurgicamente os ovários tem o efeito secundário de provocar uma menopausa.

Algumas mulheres optam por remover seus ovários e trompas de Falópio para prevenir o câncer de ovário, como é o caso da atriz Angelina Jolie. No seu caso, ela tem uma mutação genética no gene BRCA1, que é conhecido por aumentar significativamente o risco de sofrer câncer de mama e câncer de ovário. Ao remover seus ovários conseguiu reduzir o risco de câncer de ovário em 85% a 90%, mas, em contrapartida, isso provocou o aparecimento de uma menopausa precoce e imediata.

Quais problemas de saúde provoca a menopausa precoce?

A menopausa precoce, ou seja, antes dos 40 anos, está ligada com um maior risco de doenças cardíacas, problemas neurológicos, osteoporose, depressão e ansiedade.

Osteoporose. Os ovários produzem estrogênio, que é um hormônio essencial para a saúde óssea, por isso níveis muito baixos de estrogênio podem provocar o aparecimento de osteoporose.

Problemas cardíacos. A acumulação de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias provoca a formação de placa. Os estrogênios ajudam a prevenir a formação de placas nos vasos sanguíneos, por isso a perda de estrogênio aumenta o acúmulo de placas nas artérias e conduz ao endurecimento dos vasos sanguíneos. É o que se conhece como aterosclerose.

Sintomas que afetam sua qualidade de vida, tais como ondas de calor, alterações de humor, ressecamento vaginal ou perda de memória.

Para as mulheres que tenham removido seus ovários cirurgicamente, a transição para a menopausa e os possíveis efeitos colaterais potenciais, são mais abruptos, em comparação com os sintomas que experimentam as mulheres que chegam à menopausa de forma natural. Embora isso não tenha que significar sempre que os sintomas sejam mais graves.

Para informações complementares, não deixe de ler também "Menopausa Precoce: O Que É, Sintomas e Tratamento".