A vaginose bacteriana é uma infecção comum que afeta as mulheres entre 15 e 44 anos de idade. Suas causas não são bem conhecidas, mas se sabe que está relacionada com um desequilíbrio entre as bactérias boas e más que normalmente habitam na vagina da mulher. Aqui vamos te contar do que se trata e o que você pode fazer para evitá-la.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A vaginose bacteriana é uma infecção da vagina, que não é uma doença sexualmente transmissível (DST), mas que pode fazer com que o contágio de uma infecção deste tipo seja mais fácil. A vaginose bacteriana pode não apresentar sintomas em muitas mulheres, mas quando eles existem, estes incluem:

Vaginose Bacteriana: Sintomas e Como Evitar

Sintomas da Vaginose Bacteriana:

  • Fluxo ou corrimento vaginal branco, cinza ou incolor.
  • Fluxo ou secreção vaginal com um odor forte, semelhante ao peixe que se acentua após a relação sexual.
  • Secreção vaginal fina (não espessa).
  • Dor ao urinar.
  • Coceira e dor na vagina.

A vaginose bacteriana é causada por um excesso de bactérias nocivas na vagina, o que altera o equilíbrio em relação às bactérias benéficas, que também estão presentes na vagina.

Embora desconfortável, a vaginose bacteriana pode desaparecer por conta própria dentro de poucos dias. Mas da mesma forma, pode permanecer e causar outros problemas, como maior probabilidade de contrair o HIV, gonorreia, clamídia, doença inflamatória pélvica (DIP) e em caso de gravidez, aumenta o risco de ter um bebê prematuro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Por isso, é muito importante que, se você suspeita que possa ter vaginose bacteriana, consulte o seu ginecologista para descartar ou estabelecer o diagnóstico e o tratamento que consiste em medicamentos (geralmente antibióticos).

Leia também: "Remédios Caseiros Para Vaginite".

Mas se você está se perguntando como pode fazer para reduzir o risco de desenvolver a vaginose bacteriana, existem quatro passos que você pode tomar para isso:

Como Evitar a Vaginose Bacteriana:

  • Não ter mais do que um parceiro sexual.
  • Proteger-se quando está com um novo parceiro sexual.
  • Não fumar.
  • Evitar as duchas vaginais.
  • Ter uma boa higiene íntima.
  • Não ter relações sexuais.

É claro, esta última alternativa não é bem-vinda por muitas mulheres, por isso recomendamos limitar o número de parceiros sexuais, praticar sexo seguro e também conversar com seu ginecologista sobre outras medidas que poderiam ser consideradas para evitar a vaginose bacteriana como tomar pro bióticos para restabelecer o equilíbrio natural da vagina.