Exercício Intenso E Ácido Láctico: Uma Relação Que Você Deve Conhecer

Certamente já aconteceu com você ao fazer exercício intenso sentir uma sensação de queimação, como se o músculo queimasse, mas não sabe por que.

Esta sensação se produz por um derivado do processo metabólico, o ácido láctico, que quando se acumula em excesso causa estas sensações desagradáveis. Esta acumulação, quando se deriva do exercício, é temporária e não tem consequências graves. Mas se você treinar a sério deve conhecer como se produz. Aqui vamos te explicar.

Nosso corpo é como um laboratório químico que funciona sem parar. Um dos principais processos que ocorrem neste laboratório pessoal é o metabolismo, que mencionamos frequentemente em Saúde Dicas. Como já explicamos, este é o processo mediante o qual os alimentos que ingerimos se transformam em energia (glicose), que o corpo usa como combustível para desempenhar suas funções em um processo que se chama glicólise, no qual também intervém o oxigênio (por isso se chama aeróbico).

Exercício Intenso e Ácido Láctico: Uma Relação Que Você Deve Conhecer

Pois bem, quando o oxigênio diminui e o corpo precisa obter mais energia, como quando você se exercita intensamente, este processo de combustão ou decomposição de hidratos de carbono se torna anaeróbico e produz, então, uma substância chamada ácido láctico ou lactato. Esse ácido láctico permite aos músculos continuar a atividade intensa por 1-3 minutos, mas não mais. Nesse momento, começa a causar um ambiente ácido que é o que causa a queimação muscular e você pare de fazer exercício. O faz para te proteger, especialmente, proteger os seus músculos.

Leia também: "Dicas Antes de Realizar Exercício Físico Intenso".

No momento que você para, o músculo começa a receber oxigênio, a acidez começa a diminuir e as fibras musculares começam a se restabelecer. Se não receberem esse oxigênio poderiam se danificar. Mas uma vez que você para, não existe problema. O ardor para e tudo volta ao normal. Pode haver um aumento transitório do ácido láctico no sangue, mas geralmente é pequena.

Muitas pessoas pensam que o acúmulo de ácido láctico nestas condições causa uma condição chamada acidose láctica que pode ser muito grave e que frequentemente é associada a infecções graves (sepse), câncer, insuficiência renal ou respiratória, envenenamento por monóxido de carbono ou perda da circulação do sangue em algum membro ou parte do corpo, entre outros. Estes casos, em geral, resultam da acumulação de quantidades consideravelmente mais elevadas de ácido láctico no sangue e são detectadas em um ambiente hospitalar ou de emergência, ao descobrir ou tratar a doença que as provoca.

Curiosamente, a dor que se experimenta nos músculos nos dias posteriores ao exercício (nos referimos 24 a 72 horas depois), já não se deve ao ácido láctico que se produziu no período imediato (isso foi o que causou o ardor, apenas). Os cientistas não sabem ao certo o que causa a dor, pensam que talvez seja devido a algum dano muscular e a liberação de algumas substâncias nos tecidos que circundam os músculos que, por sua vez, poderiam causar inflamação. Muitas pesquisas estão sendo realizadas a respeito. No entanto, embora se saiba que os anti-inflamatórios reduzem os desconfortos, não se sabe se os anti-inflamatórios diminuem a capacidade do músculo de se reparar (no caso de ter ocorrido algum dano em suas fibras).

Entre as recomendações que você pode seguir para evitar a dor dos seus músculos (não relacionada ao ácido láctico, já que essa queimação para quando você deixa de fazer exercício) nos dias seguintes a se exercitar, se ocorrer, estão:

  • Ouvir as mensagens do seu corpo. Se você sente dor nos músculos, reduza a intensidade ou pare o movimento.
  • Faça suficiente aquecimento prévio para evitar lesões.
  • Mantenha-se hidratado (a). Beba suficiente líquido antes, durante e após o treinamento.
  • Após o exercício, lembre-se de realizar exercícios de arrefecimento e para esticar os músculos.
  • Uma massagem também poderia te ajudar a controlar a dor muscular depois de realizar uma atividade extenuante.
  • Aumente a intensidade dos exercícios gradualmente. Sua resistência aumentará pouco a pouco. Não tente fazer tudo em um só dia.
  • Consulte um treinador ou profissional qualificado para aprender a técnica adequada para cada exercício e movimento e assim evitar se lesionar.

Se você seguir estas recomendações poderá ir aumentando a sua resistência progressivamente, melhorando a sua condição física e sua saúde ao mesmo tempo.

Lembre-se o que diz o ditado: o corpo é sábio. Esteja atento aos seus sinais e aprenda a parar de se exercitar quando seu corpo necessita de descanso. E, claro, se a dor persiste, aumenta, ou aparecem outros sintomas, consulte o seu médico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto