O transtorno obsessivo compulsivo é um tipo de transtorno de ansiedade caracterizado por pensamentos, impulsos ou imagens repetitivos e intrusivos, que são intensos, ameaçadores, absurdos ou incomuns.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Estes pensamentos são seguidos por ações ritualizadas que costumam ser raras e irracionais. Estas ações rituais, conhecidas como compulsões, ajudam a reduzir a ansiedade causada pelos pensamentos obsessivos da pessoa. Muitas vezes, se descreve como a "doença da dúvida" e a pessoa que sofre costuma saber que os pensamentos obsessivos e as compulsões são irracionais, mas, por outro lado, teme que sejam verdadeiros.

Aproximadamente 1 de cada 40 pessoas apresenta um transtorno obsessivo compulsivo em algum momento de suas vidas. Esta alteração é entre duas a três vezes mais frequente do que a esquizofrenia ou a psicose maníaco-depressiva, e afeta homens e mulheres de todas as etnias, idades e níveis sociais.

Remédios Caseiros Para Transtorno Obsessivo Compulsivo ou TOC

Os sintomas são tão ameaçadores que as pessoas afetadas costumam escondem seus medos e rituais, mas não podem evitar agir de acordo com eles. Muitas vezes, são incapazes de decidir se seus medos são reais e precisam agir de uma forma patológica.

A maioria tem obsessões e compulsões, mas em ocasiões apenas uma delas. O grau de interferência desse transtorno com a vida diária também é variável. Algumas pessoas simplesmente o sofrem, enquanto que outras acham que as obsessões e as compulsões são profundamente traumáticas e investem uma grande quantidade de tempo a cada dia.

As obsessões são pensamentos intrusos e irracionais que vão aparecendo de repente na mente da pessoa, por exemplo, "Minhas mãos estão sujas, devo voltar a lavá-las". As obsessões típicas incluem o medo de sujeira, germes, contaminação e impulsos violentos ou agressivos; outras é a sensação de ser responsável pela sujeira dos outros, ou um medo irracional de atropelar um pedestre com o carro. As obsessões adicionais podem incluir sentimentos religiosos excessivos ou pensamentos sexuais opressivos.

A pessoa precisa se confessar com muita frequência para um conselheiro religioso e pode ter medo de colocar em prática seus pensamentos sexuais de uma maneira hostil. As pessoas com transtorno obsessivo compulsivo se preocupam muito com a ordem e a simetria ou são incapazes de descartar ou tirar coisas. As compulsões incluem rituais repetitivos, como lavar em excesso (especialmente as mãos ou tomar banho), limpeza, paladar e tato, contar, corrigir ou acumular coisas.

Quando a pessoa realiza esses atos, se sente temporariamente melhor, mas essa sensação de satisfação ou cumprimento não dura muito tempo depois da realização do ato. Muitas vezes, acredita que se não realizar o ritual, algo terrível acontecerá. Embora essas compulsões possam aliviar temporariamente o estresse, o alívio de curto prazo tem um alto preço – tempo investido em repetir as ações compulsivas e uma interferência em longo prazo com a vida cotidiana.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Leia também: "Transtorno Obsessivo Compulsivo: Sintomas e Tratamentos".

A diferença entre o transtorno obsessivo compulsivo e outros comportamentos compulsivos é que, enquanto que as pessoas com problemas com o jogo, que comem em excesso ou abusam de substâncias podem parecer compulsivas, essas atividades também produzem prazer em certa medida. As compulsões do transtorno obsessivo compulsivo, por outro lado, nunca são prazerosas.

O transtorno obsessivo compulsivo é por vezes associado a outros distúrbios, como a urgência contínua de tocar o cabelo (tricotilomania), o medo de ter uma doença grave (hipocondria) ou preocupação com defeitos imaginados com o transtorno da aparência pessoal (dismorfia pessoal).

Algumas pessoas com transtorno obsessivo compulsivo também sofrem de síndrome de Tourette, uma doença em que predominam os tiques nervosos e as vocalizações pouco adequadas (como pragas). O transtorno obsessivo compulsivo costuma ser associado com a depressão e outros transtornos de ansiedade.

Embora ninguém saiba ao certo, a pesquisa sugere que a tendência para desenvolver um transtorno obsessivo compulsivo é hereditária. Existem várias teorias por trás da causa do transtorno obsessivo compulsivo. Alguns especialistas acreditam que está relacionado com um desequilíbrio químico que produz um problema de comunicação entre a parte frontal do cérebro (lobo frontal) e as partes mais profundas responsáveis pelo comportamento repetitivo.

A pesquisa mostrou que o córtex orbital localizado abaixo do lóbulo frontal do cérebro é hiperativo nos pacientes com transtorno obsessivo compulsivo. Esta pode ser uma das razões para a sensação de alarme que empurra o paciente a para as ações repetitivas compulsivas. É possível que estas pessoas experimentem uma hiperatividade profunda no cérebro que faça com que as células fiquem presas, da mesma forma que uma transmissão bloqueada em um carro lesiona as engrenagens.

Isso pode desenvolver um pensamento rígido e movimentos repetitivos, que são frequentes no transtorno. O fato de que as drogas que aumentam os níveis de serotonina (substância química do cérebro associada com as emoções) no cérebro reduzam os sintomas do transtorno obsessivo compulsivo pode indicar que, em certa medida, está relacionado com os níveis de serotonina no cérebro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Recentemente, os cientistas identificaram uma curiosa relação entre os episódios da infância de faringite e o desenvolvimento de transtorno obsessivo compulsivo. Parece que em alguns indivíduos vulneráveis, os anticorpos antiestreptocócicos atacam uma determinada parte do cérebro. Os anticorpos são substâncias produzidas pelo corpo para lutar contra várias doenças específicas. Este ataque leva ao desenvolvimento de uma lavagem excessiva ou uma fobia aos germes.

Uma fobia é um medo intenso e irracional; neste caso, é o medo da doença causada por germes presentes em objetos que normalmente são manipulados. Estes sintomas costumam desaparecer com o tempo, mas algumas crianças com infecções repetidas podem, eventualmente, desenvolver um transtorno obsessivo compulsivo. O tratamento com antibióticos diminui os sintomas deste transtorno em algumas crianças.

Se uma pessoa tem um transtorno obsessivo compulsivo, existem 25% de chance de que outro membro da família também sofra. Parece que o estresse e os fatores psicológicos pioram os sintomas, que geralmente aparecem durante a adolescência ou início da idade adulta.

As pessoas com transtorno obsessivo compulsivo se sentem envergonhadas do seu problema e, muitas vezes, tentam esconder seus sintomas, o que pode impedir a busca por tratamento. Talvez sejam muito hábeis em manter seu problema oculto dos familiares e amigos, por isso muitos não recebem a ajuda de que necessitam até que os comportamentos estejam profundamente enraizados em seus hábitos e sejam difíceis de mudar.

Como resultado disso, a doença não é diagnosticado. Com muita frequência se passa mais de uma década entre o início dos sintomas e o diagnóstico e tratamento adequado.

Remédios caseiros para transtorno obsessivo compulsivo:

  • Despeje 1 colher de sopa de erva de São João, em uma xícara de água e deixe ferver por 5 minutos. Cubra e deixe esfriar. Coe e beba uma xícara por dia. Este é um dos remédios naturais mais recomendados em casos de TOC e estados de ansiedade e depressão. Parece que afetam os níveis cerebrais de serotonina, da mesma forma que os antidepressivos inibidores seletivos da recaptação da serotonina.
  • Despeje em uma xícara de água que está fervendo um punhado de sementes de gergelim. Cubra e deixe esfriar. Filtre e beba diariamente.
  • Lave, pique e ferva em uma xícara de água uma raiz de ginseng durante 7 minutos. Cubra e deixe esfriar. Beba 1 xícara diária.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Recomendações: A terapia comportamental cognitiva ensina as pessoas com TOC para enfrentar seus medos e pensamentos obsessivos, fazendo o esforço de resistir e evitar as atividades que normalmente causam ansiedade sem realizar os rituais compulsivos tranquilizadores.

Em ocasiões, sua ansiedade diminui. As pessoas capazes de alterar seus padrões de pensamento, desta forma podem reduzir sua preocupação com os rituais compulsivos. Ao mesmo tempo, reorientam sua atenção para outras coisas, por exemplo, um passatempo divertido.