Cientistas espanhóis desenvolveram a primeira lente do olho que protege a partir do início da degeneração macular (DMAE), uma doença neurodegenerativa que é a principal causa de perda de visão em muitos indivíduos.

Lentes conhecidas como Certificado de Segurança da Retina (CSR) foram concebidas por uma equipe, cujo o médico chefe explicou que o principal objetivo da lente é visar a população vulnerável, como pacientes com catarata – patologia que opera 300 mil pessoas a cada ano, e para aqueles que sofrem de doenças da retina, insistindo que pode ser usado por qualquer outra pessoa, independentemente da idade e da saúde.

Ele ressaltou que o principal benefício das lentes é que elas reduzem o risco de desenvolver catarata e problemas de retina, bloqueando os raios azuis e violetas, que representam 23% da luz na atmosfera, depois de absorver os comprimentos de espectro de ondas curtas. Protegem também os olhos da luz de LEDs, cada vez mais presente nos lares e nos grandes centros de comércio e a luminosidade a partir de dispositivos tecnológicos, como televisão, computadores, tablets ou smartphones. As luzes da tecnologia estão cada vez com maior potencia e mais energia, como LEDs, da qual a maioria dos consumidores é a favor, porque elas são baratas e consumem pouco, mas é preciso haver uma maior proteção aos nossos olhos.

Cerca de 90% das pessoas que recorrem aos consultórios oftalmológicos apresentam doenças degenerativas da retina, patologias para as quais não há solução médica atualmente. Por isso, o melhor tratamento é a prevenção, pois, de acordo com especialistas, cerca de 85% da informação sensorial recebida pela pessoas vem por meio da luz. Essas lentes ainda não têm um valor exato de custo, mas muito provavelmente será razoável e semelhante a outros produtos tradicionais, como lentes claras, embora ela possa agregar um valor extra devido às grandes propagandas de lançamento.

Lente Que Protege o Olho da Degeneração Macular

As lentes serão vendidas primeiramente na Espanha (onde foi feito o estudo) e mais tarde em países como os Estados Unidos e outros regiões da Europa, como a Rússia e Japão. Essa é uma descoberta e tanto, e aqueles que possuem doenças degenerativas da retina devem ficar ansiosos, afinal essas lentes ainda vão chegar ao Brasil até mais aprimoradas, visto que tudo ainda está em estudo. E nesse momento de crise europeia, talvez venha até em preços mais acessíveis, pois a necessidade de se exportar produtos para garantir a rotatividade econômica é grande.