A bulimia é um transtorno alimentar que afeta geralmente as mulheres na adolescência e início da idade adulta.

Este comportamento consiste na ingestão compulsiva de grandes quantidades de alimentos ricos em calorias (por farra secretamente) para em seguida eliminá-los do organismo com purgação, como vômitos auto induzidos, laxantes, diuréticos, enemas, jejuns desordenados e, em alguns casos, a prática de exercício excessivo e descontrolado.

A bulimia é causada pela ansiedade e preocupação excessiva com o peso corporal e aparência física. Veja mais em “Bulimia: Sintomas e Tratamentos“.

Muitas vezes é difícil detectar a pessoa que sofre de bulimia, uma vez que, ao contrário dos anorexígenos cujo problema de falta de peso torna-se aparente, geralmente a bulimia não se associa a uma alteração significativa do peso corporal a fim de constituir um sinal de aviso ou até mesmo comer sem problemas quando se está com outras pessoas.

No entanto, existem condutas evidentes associadas com este transtorno como:

  • Preocupação obsessiva com a comida.
  • Medo excessivo e descontrolado de engordar.
  • Desaparecimento inexplicável de grandes quantidades de alimentos.
  • Constantes idas ao banheiro após as refeições.
  • A insatisfação com o próprio corpo.
  • Desejo desordenado de perfeição.
  • Frustração e depressão (quando não gerir as suas expectativas).
  • Frequentes mudanças de humor.

Quanto aos sinais físicos apresentados por pessoas com bulimia, podemos ver no início, a erosão do esmalte dos dentes, cáries, inflamação da gengiva e língua, e dor de garganta devido à acidez dos vômitos, pele enrugada pela desidratação, constipação, problemas digestivos e fraqueza muscular devido ao desequilíbrio causado pela perda de minerais essenciais na diarreia.

Então, à medida que a doença avança, a pessoa pode desenvolver complicações médicas importantes, tais como: síndrome do intestino irritável, hérnia de hiato, e risco de apendicite (pelo abuso de laxantes), perfuração do esôfago, doenças metabólicas, tais como redução de glicose, ou alterações dos íons no sangue, insuficiência renal (pelo excesso de diuréticos) e cardíaca como arritmias que, se não forem tratadas a tempo, podem ser fatais.

Remédios Caseiros

Como a bulimia está relacionada a estados de ansiedade e depressão, recomenda-se a ingestão dos seguintes remédios caseiros:

  • Coloque 1 colher de sopa de erva-cidreira seca em uma xícara de água fervendo. Cubra, coe e deixe esfriar. Tome uma xícara por vários dias para controlar a ansiedade.
  • Ferva por 5 minutos, 1 colher de sopa de hypericum ou erva de São João, em 1 xícara de água. Retire do fogo e deixe esfriar. Tome um copo quando você se sentir deprimido.
  • Ferva uma colher de sopa de flores secas de limão em um copo de água por 5 minutos. Beba 3 xícaras por dia, dependendo do seu humor.
  • Despeje uma colher de sopa de valeriana em uma xícara de água fervendo. Cubra, coe e deixe esfriar. Tome 1 ou 2 copos por dia para controlar a ansiedade.
  • Recomendações

    • Assegurar a detecção e intervenção precoces, porque isso reduz a gravidade dos sintomas e melhora a qualidade de vida.

    • Evite o consumo de fast food, produtos que contenham abundantes amidos pesados, farinha branca e açúcar.

    • Realize cinco refeições por dia em vez de três, mas em pequenas porções, já que ao comer com mais frequência é possível ajudar a controlar ambas as sensações de saciedade e fome.

    • Tenha sempre alimentos saudáveis por perto como frutas, se você sentir vontade de comer.

    • Identifique padrões que orientam a comer compulsivamente como situações e inclusive pessoas, para evitá-los.

    • Tome o controle da vida e não permita que algo (comida) o controle.

    • Evite situações de estresse, depressão ou ansiedade, praticando esporte com moderação, meditação, exercícios de respiração profunda, Yoga e visualização.

    Procure um tratamento com especialistas, onde intervenha não apenas o médico da família, mas endócrinos, psicoterapeutas, entre outros.