Conhecemos o que é a insônia como um transtorno do sono que impede conciliá-lo. No entanto, o oposto pode ocorrer e se apresentar outro distúrbio do sono conhecido com o nome de hipersonia ou sonolência. Significa ter sono constantemente durante o dia, uma excessiva sonolência ou dormir mais horas do que o habitual por noite.

Este distúrbio pode supor dormir mais de 10 horas seguidas e interferir na vida diária devido a dificuldade para se manter acordado durante o dia.

Às vezes, a hipersonia é algo passageiro. Quando se inicia um tratamento e é necessário tomar tranquilizantes, soníferos ou anti-histamínicos é frequente sofrer deste transtorno. Mas uma vez finalizado o tratamento desaparece a hipersonia.

É muito comum ter uma sonolência extrema, quando se tem febre ou quando se está gripado. Isto é consequência dos medicamentos que são tomados, por exemplo, os analgésicos. Mas, da mesma forma, a hipersonia é temporária. Assim como é, quando realizamos uma atividade que envolve muito esforço e nos produz um sono enorme.

Convém se preocupar quando a hipersonia dura mais de uma semana e não se está seguindo nenhum tratamento que possa produzi-la. Caso persista, então é aconselhável consultar um médico para determinar o que causa o transtorno e optar pelo caminho mais curto para a cura.

Pode ser resposta a uma desordem psicológica, como a depressão ou a ansiedade. Outras vezes, pode ser uma consequência de um tratamento contra o câncer ou a existência de um tumor.

Também pode aparecer quando se tem anemia ou existem mudanças hormonais no corpo.

Para controlar a hipersonia, na medida do possível, é recomendado tentar dormir e acordar sempre na mesma hora, assim como evitar ingerir alimentos que dão sono ou fazer refeições pesadas. Faça atividades que exijam muita atenção durante o dia e exercícios físicos podem ajudar.