As amígdalas e as adenoides são um tema recorrente na saúde. Se doem, se inflamam, se é preciso operá-las. Do que se trata tudo isso? Continue lendo para saber mais sobre as amígdalas e as adenoides e descobrir quando e porque é preciso removê-las.

Para Que Servem as Amígdalas e as Adenoides

Para começar, as amígdalas são uma massa de tecido linfático que se encontram atrás da língua, em ambos os lados da garganta ou faringe (quando você abre a boca e faz "aaa" pode vê-las justamente na entrada da garganta).

As adenoides, por sua vez, têm a mesma função, mas se encontram na parte superior da garganta, atrás do nariz, acima do palato mole. Servem para reter bactérias e vírus que entram na garganta e nas vias respiratórias.

Quando é Preciso Remover as Amígdalas e as Adenoides?

Também produzem anticorpos para combater as infecções. Parece irônico, então, que elas, que se destinam a proteger o organismo de certas doenças, terminem sendo vítimas dessas mesmas infecções. São como um soldado ferido que fica, então, fora de combate.

Quando é Preciso Remover as Amígdalas e as Adenoides?

A inflamação das amígdalas ou amigdalite, que ocorre frequentemente, é causada por uma infecção que pode ser resolvida por si mesma ou pode ser tratada com antibióticos.

Em algumas ocasiões, as amígdalas e as adenoides podem se inflamar sem que se tenha nenhum sintoma e assim como se inflamam (incham), voltam rapidamente a sua normalidade.

No entanto, algumas pessoas sofrem de sintomas e infecções recorrentes que requerem antibióticos e que fazem com que a única solução seja a cirurgia para remover as amígdalas, as adenoides, ou ambas. Geralmente há certas razões pelas quais o especialista pode recomendar uma operação.

O seu médico pode recomendar a cirurgia de amígdalas, de adenoides ou de ambas, caso a criança sofre de:

  • Dificuldade para engolir devido à inflamação (inchaço) das amígdalas.
  • Dificuldade para respirar normalmente (ou seja, o faz através da boca e não do nariz).
  • Interrupção do sono que inclui ronco e dificuldade para respirar (às vezes causa apneia do sono).
  • Infecções recorrentes das amígdalas (mínimo 7 episódios em um ano, ou pelo menos 5 episódios a cada ano para dois anos, ou três episódios a cada ano por dois anos).
  • Infecções recorrentes de ouvido e sinusite que não respondem ao tratamento medicamentoso.
  • Gânglios linfáticos inflamados sob a mandíbula que dura pelo menos 6 meses e não desinflamam com antibióticos.
  • Adenoides que crescem ao ponto de afetar a fala e interferem com o crescimento normal da face.

Retirar as amígdalas não significa não ter uma dor de garganta, no futuro, ainda pode contrair resfriados ou gripe com dor de garganta, mas será diferente.

A cirurgia para remover as amígdalas (amigdalectomia) e/ou adenoides (adenoidectomia) é curta, geralmente leva cerca de 30 minutos a 1 hora, mas requer anestesia geral.

A recuperação levará uma semana ou mais e será acompanhada por desconforto para comer e beber. No entanto, com alguns medicamentos para a dor recomendados pelo médico, se recuperará em breve e poderá retornar às suas atividades normais.

Denise Cipolli Terapeuta Holística

Denise Cipolli
Terapeuta Holística
Denise A. Ribeiro Cipolli possui mais de 5 anos de experiência em terapia holística e é formada pela UHB Universidade holística Do Brasil de Guaratinguetá desde 2012.