Diversas condições e doenças como artrite, asma, problemas renais, choque, alergias, doenças do coração e até mesmo câncer podem causar uma inflamação em uma determinada parte do corpo.

A dor aguda ou crônica acompanha a inflamação. Geralmente, para evitar a dor causada pela inflamação, as pessoas consomem medicamentos que apresentam efeitos colaterais graves; sendo um deles as úlceras estomacais.

Felizmente, existem muitas ervas, especiarias e plantas que possuem propriedades anti-inflamatórias (geralmente devido aos fito químicos que contêm) e analgésicas, as quais constituem excelentes alternativas naturais. Aqui estão algumas delas:

Plantas anti-inflamatórias

  • Arnica: usada para tratar o inchaço e a inflamação causada por choques e torções, entre outros. As suas propriedades anti-inflamatórias se devem principalmente à presença de helenalina e dihydrohelenalin nesta erva. Assim que um ocorre um golpe, deve-se aplicar sobre a área afetada com panos embebidos em arnica, que não apenas neutraliza a dor e a inflamação, mas também o possível aparecimento de um hematoma.
  • Cúrcuma: este tempero indiano contém curcumina, o qual possui propriedades anti-inflamatórias, como mostrado por vários estudos clínicos. No entanto, os seus benefícios são apreciados passados alguns meses. Se tomado junto com a bromelina (potente enzima anti-inflamatória encontrada no abacaxi) se consegue um eficaz remédio natural para combater a dor aguda causada pela síndrome do túnel do carpo ou artrite, é contraindicada em casos de obstrução das vias biliares, já que aumenta a secreção biliar.
    Anti-Inflamatórios Caseiros
  • Pimenta caiena ou malagueta: contém “capsaicina” ingrediente que traz o sabor picante a este tipo de pimenta, o qual possui reconhecidos efeitos anti-inflamatórios.
  • Camomila alemã: as flores secas são empregadas por suas propriedades sedativas e espasmolíticas, bem como a sua ação anti-inflamatória. É tomada na forma de infusão, extrato.
  • Alcaçuz: contém glicirrizina e ácido glicirrízico os quais apresentam uma atividade anti-inflamatória e protetora contra os tumores. Toma-se a raiz cortada ou em pó.
  • Molho Branco: contém um composto que é usado para produzir a aspirina. Usa-se para artrite, dores de cabeça, bursite e outras inflamações dolorosas.
  • Espirulina: é uma alga de água doce que provém das áreas tropicais e que, por seu alto teor de antioxidantes, protege contra os radicais livres e também tem ação anti-inflamatória.
  • Gengibre: essa raiz tem sido usada há séculos na medicina ayurvédica da Índia como um tratamento eficaz contra a artrite. É muito benéfica para o organismo, especialmente por sua eficaz ação anti-inflamatória. Basta tomar meia colher de chá de gengibre em pó ou inteira diariamente de preferência misturada, por exemplo, em uma salada.
  • Groselha preta: as folhas e os brotos desta planta são reconhecidas para combater o reumatismo, devido aos flavonoides que estimulam a secreção de substâncias anti-inflamatórias. Ele foi apelidado como “a cortisona natural”, mas sem seus muitos inconvenientes. O suco de seus frutos também é recomendado como anti-inflamatório tanto para o tratamento de processos agudos como passageiros. Também é possível tomar na forma de infusão. Para isto, deve-se ferver 30 gramas de folhas de groselha preta em um litro de água durante 15 minutos. Beba dois copos por dia.
  • Noni: esta planta é nativa das Ilhas do Pacífico Sul e tem sido usada para fins medicinais há milhares de anos. De acordo com a investigação sobre as propriedades do fruto desta árvore, o seu poder regenerador está associado à presença de xeronina, um alcaloide que trabalha a nível celular, fortalece o sistema imunológico e alivia os sintomas da artrite, osteoartrite, artrite reumatoide e gota.

Alimentos Anti-Inflamatórios

A alimentação tem um papel importante na prevenção de inflamações, já que muitas têm a ver com um desequilíbrio na ingestão de ácidos graxos ômega-6 e ômega-3, os quais devem ser equilibrados. Igualmente, é necessário o consumo de vitamina E.

Quando existe um excesso de ácidos graxos ômega-6, uma deficiência de ômega-3, e uma ingestão inadequada de antioxidantes tais como a vitamina E, a reação pró-inflamatória do corpo se desnivela, provocando dor e inflamação crônica.

Tudo isso significa que é necessário corrigir a dieta, a fim de aliviar a inflamação crônica. Para isso, você deve consumir peixes de água fria (atum, truta, salmão, sardinha, cavala e carapau), óleos vegetais, como de linhaça e oliva (com alto teor de ácidos graxos ômega-9), nozes e folhas verdes (beldroega, por exemplo).

Além disso, deve-se evitar alimentos processados, congelados, embalados e enlatados, pois os fabricantes costumam usar para sua elaboração ácidos graxos ômega-6.