Amamentação E Medicamentos: É Prejudicial? Saiba Mais

Uma das experiências mais bonitas para todas as mães é amamentar o seu bebê, mas o que acontece se a mãe toma medicamentos durante a amamentação? Hoje vamos explicar a relação entre amamentação e medicamentos.

A prescrição de medicamentos para uma mãe em período de amamentação requer avaliar os benefícios da utilização de medicamentos para a mãe diante do risco de não amamentar ou o risco potencial de exposição do bebê aos medicamentos.

Embora o medicamento seja seguro para a mãe durante a gravidez não significa que é seguro para o bebê lactente, e em qualquer caso, será o especialista quem avaliará os riscos que podem ter o bebê sob certos medicamentos e, em alguns casos, será aconselhável interromper amamentação.

Amamentação e Medicamentos: É Prejudicial? Saiba Mais

Transferência dos medicamentos para o leite materno

A transferência de medicamentos para o leite materno se deve principalmente a um gradiente de concentração que permite a difusão passiva de certos medicamentos; a concentração de fármacos no leite materno é determinada em grande parte pela concentração do fármaco no soro materno e a concentração sérica tende a ser menor com medicamentos que têm grandes volumes de distribuição e flutua mais com medicamentos que têm uma meia-vida curta.

Os medicamentos que se unem fortemente às proteínas, que têm grandes pesos moleculares ou que são pouco lipossolúveis, não tendem a entrar no leite materno em quantidades significativas.

No período pós-parto cedo, os grandes espaços entre as células alveolares mamárias permitem que muitos medicamentos passem através deste leite e como a atividade farmacológica dos medicamentos depende da absorção, distribuição, metabolismo e eliminação do bebê.

Ação de alguns princípios ativos dos medicamentos no leite materno

Vamos ver como podem influenciar certos medicamentos no aleitamento materno.

Os corticoides inalados para o tratamento da asma alcançam níveis muito baixos no plasma materno e são de nenhuma preocupação para a mãe que amamenta.

A pseudoefedrina tomada para a rinite é excretado no leite materno em pequenas quantidades, mas seu uso é compatível com a amamentação, embora possa causar uma redução na produção de leite; pode causar letargia ou irritabilidade em crianças, mas para reduzir o risco para o bebê, a mãe pode tomar estes medicamentos imediatamente após a amamentação.

Baixas doses de diuréticos tiazídicos são excretadas em pequenas quantidades no leite materno, são compatíveis com a amamentação e os diuréticos e os betabloqueadores, e os anti-hipertensivos, são seguros para o uso em mulheres que estão em período de amamentação, embora com algumas precauções.

A insulina não é excretada no leite materno e é considerado seguro o seu uso durante a amamentação e quanto aos anticonvulsivantes são excretados no leite materno, mas podem amamentar seus bebês.

O ibuprofeno tem má transferência para o leite e tem sido bem estudado em crianças; por outro lado os anti-inflamatórios não esteroides podem se acumular no lactente com o uso prolongado e as penicilinas e as cefalosporinas, que são excretadas no leite materno em pequenas quantidades, são compatíveis com a amamentação, embora em alguns casos a criança possa experimentar uma reação alérgica ou desenvolver causada por alterações na flora intestinal.

Além de tomar precauções com os medicamentos durante a amamentação, você também deve se preparar para a amamentação, por isso recomendamos a leitura deste artigo do nosso site: “Dicas para se preparar para a amamentação durante a gravidez”.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto